Diadema, Política-ABC, Sua região

Zé Dourado: ‘o PSDB errou em abrir mão do vice’

José Dourado: “tínhamos acordado que íamos apoiar o Lauro e cumprimos”. Foto: Eberly Laurindo

O presidente da Câmara de Diadema e vice-presidente do PSDB na cidade, José Dourado, declarou em entrevista que o partido errou em abrir mão de disputar o cargo de vice-prefeito do prefeito eleito, Lauro Michels (PV). Antes da definição pelo nome do vereador Márcio Paschoal Giudício, o Márcio da Farmácia (PV), o próprio Dourado e a esposa do vereador e ex-secretário de Saúde José Augusto da Silva Ramos, Maridite Cristóvão de Oliveira, foram as opções tucanas. “Quando ‘lança’ dois nomes dentro do partido você está enfraquecendo os dois”, afirmou.

O PSDB, que teve votação expressiva em 2012 e elegeu dois vereadores, teve um desempenho muito inferior em 2016 e não conseguiu conquistar nenhuma cadeira no Legislativo diademense. Para o presidente da Câmara, que encerra em 31 de dezembro seu mandato, o exercício da presidência atrapalhou seu desempenho nas urnas. “A presidência foi uma experiência importantíssima na minha vida, no meu currículo. Talvez, politicamente, me trouxe algum prejuízo, porque me prendeu muito dentro da Câmara”, justificou “Para poder fazer um bom trabalho, a gente não tem tempo de visitar as bases, estar junto com o eleitorado e isso acarretou na minha não reeleição”, completou.

Dourado justificou a opção do partido em não lançar candidatura majoritária – como defendia alguns grupos dentro da legenda – para cumprir acordo de apoiar a reeleição de Michels. “Tínhamos clareza e sabíamos que o nosso caminho era lançar candidatura própria, mas nós jamais faríamos isso por uma questão de cumprir acordo”, destacou. “Tínhamos acordado que íamos apoiar o Lauro e cumprimos. O único erro grave que eu acho que tivemos foi abrir mão da vice”, frisou.

Mandatos

O tucano se despede da Câmara após dois mandatos consecutivos e um total de cinco mandatos no Legislativo da cidade. Consideram, também, que é a hora de renovar a executiva do partido, cujo presidente é o vereador José Augusto. “Acho que chegou a hora da gente ter uma mudança dentro do PSDB. Já fiz minha parte como militante, fui presidente. Posso contribuir muito e vou contribuir, mas não preciso ser da executiva nem ser presidente”, afirmou. “Acho que o Zé Augusto também deve ter esse pensamento, não sei. A gente tem muito o que contribuir, tanto eu quanto ele, mas nesse momento é desnecessário que a gente esteja na executiva do partido. É preciso renovar. O partido precisa de gente jovem que venha renovar”, destacou.

José Dourado não confirmou se vai ocupar algum cargo na administração. “Vou descansar em janeiro e quando voltar, não sei o que vou fazer. Lauro não me disse, não me convidou ainda para nada. Não sendo convidado, não posso dizer que vou fazer parte do governo ou não”, pontuou. “Posso dizer que estou aqui, com a minha experiência, meu trabalho, minha seriedade e se precisar estou às ordens”, finalizou.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*