Copa do mundo, Esportes

Zagueiro dá vitória ao Uruguai contra Egito

Zagueiro dá vitória ao Uruguai contra Egito
Giménez cabeceia para marcar o gol dos uruguaios. Foto: Divulgação/AUF

Com um gol aos 44 minutos do segundo tempo, o Uruguai confirmou o favoritismo e venceu o Egito por 1 a 0 nesta sexta-feira (15), na arena de Iekaterinburgo. Com o resultado, a seleção celeste assume a vice-liderança do Grupo A, ficando abaixo da Rússia pelo saldo de gols.

O único gol da partida foi marcado após cobrança de falta de Sanchez. Bem posicionado na área egípcia, o zagueiro José Giménez subiu mais do que todos os jogadores egípcios e, de cabeça, balançou a rede. O Uruguai não vencia um jogo de estreia na Copa desde 1970.

Diferentemente do Uruguai, que teve sua maior estre­la (Luis Suárez), o Egito entrou desfalcado. Mohamed Salah, que ainda se recupera de lesão no ombro, não pôde defender a equipe e comemorou seu aniversário de 26 anos no banco.

A partida foi bastante movimentada, com chances de ambos os lados. O Uruguai, no entanto, teve maior volume de jogo. Suárez, inclusive, perdeu três grandes oportunidades. O goleiro El Shenawy também foi um dos grandes responsáveis pelo placar enxuto.

Assim como na partida entre Rússia e Arábia Saudita, o árbitro de vídeo, novidade deste Mundial, não precisou ser acionado.

 

EGITO 0 X 1 URUGUAI

Gols: José Maria Giménez, aos 44 minutos do segundo tempo. Ár­bi­tro: Bjorn Kuipers (Holanda). Público: 27.015 torcedores. Estádio: Arena Iekaterinburgo, em Iekaterinburgo (Rússia).

EGITO
El-Shenawy; Fathi, Al Gabr, Hegazy e Abdel-Shafy; Elneny e Warda (Sobhy); Said, Trezeguet e Mohsen (Kahraba); Hamed (Morsy). Técnico: Hector Cúper.

URUGUAI
Muslera; Varela, Giménez, Godin e Cáceres; Nández (Carlos Sánchez), Vecino (Torreira), Betancur e De Arrascaeta (Cristian Rodríguez); Cavani e Suárez. Técnico: Óscar Tabárez.

 

Técnico do Uruguai ameniza gols perdidos por Suárez

A vitória uruguaia sobre o Egito saiu apenas nos minutos finais da partida, já que o atacante Luis Suárez viveu tarde pouco inspirada em Iekaterinburgo nesta sexta-feira (15).

O renomado atacante do Barcelona desperdiçou três oportunidades claras de gol, mas acabou salvo por José Maria Gimenez, que anotou o 1 a 0 na estreia da Copa do Mundo. Os erros do camisa 9, entretanto, não preocupam.

Em entrevista coletiva concedida depois da partida, o técnico Óscar Tabárez amenizou a atuação ruim da principal referência ofensiva. Tanto Suárez quanto Edinson Cavani pararam no goleiro El-Shenawy, eleito pela Fifa o grande destaque do jogo, apesar do revés do time africano.

“Não posso especular sobre o que aconteceu. Não é um pecado, mas teve três situações, e o goleiro pegou três bolas. São coisas que podem acontecer, está na história dos goleadores”, afirmou o treinador uruguaio.

Tabárez também tratou de descartar a ausência de Mohamed Salah, astro do Egito, como um fator decisivo para a vitória. O experiente treinador pegou exemplos do próprio time para valorizar o resultado nesta estreia.

“Tivemos partidas sem Cavani e Suárez, e a equipe ganhou. Hoje, claro, poderia ser facilmente um empate antes da cobrança de falta de Carlos Sánchez (que terminou com o gol de Giménez). Não dá para especular coisas que não consigo prever”, destacou o treinador.

O gol no fim permite ao Uruguai largar na frente do grupo A ao lado da Rússia, que goleou a Arábia Saudita por 5 a 0 na quinta (14). Com uma vitória sobre os sauditas na próxima quarta-feira, o time sul-americano fica muito próximo da vaga nas oitavas de final.

 

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*