Economia, Notícias

Volkswagen eleva a R$ 16 bi investimentos em suas fábricas no Brasil

Empresa anunciou aporte adicional de R$ 9 bilhões; fábrica Anchieta receberá dois novos modelos

Volkswagen eleva a R$ 16 bilhões investimentos em suas fábricas no Brasil
Fábrica Anchieta receberá dois modelos baseados em nova plataforma. Foto: Divulgação/VW

A Volkswagen anunciou nesta sexta-feira (2) investimentos de R$ 9 bilhões no Brasil entre 2026 e 2028 para desenvolvimento e produção de novos veículos e motores em suas quatro fábricas no país. O valor se soma a outro aporte, de R$ 7 bilhões, anunciado em 2021 para a América Latina e iniciado no ano seguinte, o que eleva a R$ 16 bilhões total a ser aplicado pela montadora no período.

A Volkswagen destaca que, com o novo anúncio, torna-se a montadora com maior investimento no Brasil no período pós-pandemia.

Segundo o anúncio, a Volkswagen do Brasil lançará 16 veículos até 2028, incluindo modelos híbridos, 100% elétricos e Total Flex. Inicialmente, o pacote contempla quatro veículos – uma picape, um SUV de entrada e uma plataforma que dará origem a dois modelos híbridos – e um novo motor.

“Vamos lançar 16 novos veículos até 2028, incluindo modelos híbridos, 100% elétricos e Total Flex. No primeiro momento, o novo aporte contempla o desenvolvimento e a produção de projetos inovadores e com foco em descarbonização para as quatro fábricas da Volkswagen do Brasil. Assim, reforçamos nosso compromisso com o país, com nossos clientes, concessionários, fornecedores e colaboradores”, afirmou o CEO da Volkswagen do Brasil, Ciro Possobom.

A nova ofensiva inclui dois veículos inéditos a serem produzidos na fábrica Anchieta, em São Bernardo, com base na plataforma MQB Hybrid. Na fábrica de São José dos Pinhais (PR) será produzida uma picape de porte intermediário entre Saveiro e Amarok, para concorrer com Fiat Toro e GM Montana. Seu nome deve ser Tarok. A VW confirmou ainda que a Amarok continuará a ser produzida na Argentina.

A unidade de Taubaté (SP) fabricará um SUV de entrada inédito, 100% desenvolvido no Brasil e posicionado abaixo de Nivus e T-Cross em preço e dimensões. Especulou-se na cidade que a VW daria ao modelo o nome Gol, mas a montadora negou. Por fim, a fábrica de motores em São Carlos (SP) vai produzir um novo propulsor para veículos híbridos.

No ano passado, a Volkswagen concluiu a extensão para até 2028 dos acordos coletivos vigentes com os sindicatos de trabalhadores de suas quatro plantas no país. Segundo a VW, a conclusão dessa negociação foi fundamental para o anúncio dos novos investimentos.

Os aportes estão em sintonia com a estratégia global de descarbonização da montadora. Para impulsionar ainda mais a estratégia no Brasil, os novos modelos eletrificados que chegarão nos próximos anos se somarão a dois recém-lançados veículos 100% elétricos: ID.4 (SUV) e ID.Buzz (Kombi elétrica), já oferecidos no país pelo programa VW Sign & Drive desde o ano passado.

No ano passado, quando completou 70 anos no país, a Volks emplacou 345.039 unidades, ou 80 mil emplacamentos adicionais em relação a 2022. O resultado significou 15,8% de participação no mercado em 2023, com a vice-liderança consolidada, e aumento de 2,1 pontos percentuais de share no ano. O Polo foi o veículo de passeio mais vendido no ano passado, com 111,2 mil unidades.

GM

Na semana passada, a GM anunciou investimentos de R$ 7 bilhões no país até 2028. Segundo a companhia, os recursos serão usados para renovar sua linha de produtos e modernizar suas fábricas. A montadora não deu detalhes sobre sua estratégia de eletrificação.

Print Friendly, PDF & Email

Deixe eu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*