Editorias, Notícias, Veículos

Versão Endurance Turbodiesel é a proposta para ‘trabalho duro’ da Fiat Toro

Versão Endurance Turbodiesel é a proposta para ‘trabalho duro’ da Fiat Toro
Em todas as ver­sões da linha 2022 da Toro, ca­pô ganhou duas protuberâncias para ampliar a sensação de “musculatura” do conjunto; mudanças frontais também incluem novos frisos na grade e para-choque redesenhado. Foto: Luiza Kreitlon/AutoMotrix

LUIZ HUMBERTO MONTEIRO PEREIRA
AutoMotrix

Desde que a Fiat Toro foi apresentada, em 2016, é um sucesso de vendas no Brasil – nestes cin­co anos teve mais de 300 mil unidades emplacadas. Um dos segredos do sucesso da picape produzida em Goiana (PE) é seu posicionamento intermediário en­tre as picapes compactas (em monobloco e derivadas dos hatches) e as médias (com chassis de longarinas). Em maio deste ano, quando sua linha 2022 chegou às concessionárias com discretos retoques visuais, a grande novidade foi o motor 1.3 GSE Turbo Flex T270, que entrega até 185 cavalos de potência e torque de 27,5 kgfm. As versões a diesel mantiveram o motor turbo de 170 cv, e a Endurance Turbodiesel AT9 é a mais barata a diesel com tração 4×4 – custa a partir de R$ 161.990. Por conta disso, é a configuração mais procurada da linha Toro para quem pretende usar a picape para serviços pesados.

Em todas as ver­sões da linha 2022 da Toro, o ca­pô ganhou duas protuberâncias para ampliar a sensação de “musculatura” do conjunto. Na configuração Endurance, os faróis permanecem divididos em duas partes, mas a superior passou a ser em LED e divide o trabalho entre luz diurna de condução e setas de direção – anteriormente, a seta era halógena. A versão de entrada da Toro é a única que preserva as lâmpadas convencionais nos faróis principais – todas as outras são de LED. Também é a única a não ter auxi­liares de neblina – em seus luga­res estão dois nichos sem função.

Além do capô mais robusto e dos faróis com DRL em LEDs, as mudanças frontais incluem os novos frisos na grade, que ostenta o logo da marca centralizado e a Fiat Flag (uma microbandeira italiana estilizada) e o para-choque redesenhado. Na traseira, as lanternas mantiveram o formato, mas passaram a ser em LEDs. A porta da caçamba permanece bipartida, com abertura lateral. Na configuração mais básica, as maçanetas externas, as carenagens dos re­trovisores, as molduras das janelas e a coluna central das portas são em preto.

As rodas de aço estampado trazem calotas que imitam as de alumínio e calçam pneus 215/65 R16. Para reforçar a proposta despojada, o rack com barras longitudinais dá lugar a um simplório “porta-escadas” – barra preta que serve para apoiar e amarrar volumes na caçamba.

A Toro 2022 oferece de série em toda a linha o Cluster Full Di­gital com tela de sete polegadas, com os indicadores de temperatura e nível de combustível em LED. Se, nas configurações top Ultra e Ranch, a vistosa central multimídia de 10,1 polegadas po­sicionada na vertical “rouba a cena” no habitáculo, a Endurance vem com um discreto multimídia com tela sensível ao toque de sete polegadas, que oferece conectividade sem fio para Apple CarPlay e Android Auto.

A confi­guração mais básica da Toro traz de série volante com regulagem de altura e profundidade, seis air­bags, alarme antifurto, ar-condicionado, comando de áudio no volante, direção elétrica, Drive by Wire (controle eletrônico de aceleração), controle eletrônico de estabilidade (ESP) e tração (ASR), Isofix, indicador de troca de marcha, Hill Holder (que auxilia nas arrancadas em subida), retrovisores externos com comando elétrico e tilt down (inclina o espelho do passageiro quando a marcha-ré é engatada), revestimento plástico na caçamba, sensor de estacionamento, vidros elétricos dianteiros e traseiros e sensor de pressão dos pneus. Teclas no console possibilitam o acionamento da tração 4×4 e 4×4 Low.

Sob o capô da Endurance Turbodiesel AT9 está o conhecido motor 2.0 Multijet II – apresentado no Brasil no final de 2015 com o Jeep Renegade e posteriormente ado­tado no Compass. Tem duplo comando de válvulas, turbocompressor e intercooler e injeção direta Common Rail. Entrega 170 cavalos a 3.750 rpm e 35,7 kgfm a partir de 1.750 giros e trabalha acoplado a uma caixa automática com nove velocidades. É o mesmo motor que move as configurações mais caras da picape, todas com tração 4×4.

A Toro Endurance Turbodiesel AT9 parte de R$ 161.990 apenas se vier na cor sólida Verme­lho Colorado. Em São Paulo, que tem preços maio­res decorrentes de tributações locais, o preço base sobe para R$ 167.370.

 

Sem sutilezas

A Toro Endurance Turbodiesel AT9 ostenta o rumor e a trepidação dos quais os amantes das picapes com motores a diesel não abrem mão. Em compensação, abdica do temperamento mais “carro de passeio” das configurações com o novo motor turboflex. O bom torque de 35,7 kgfm do motor a diesel está disponível em baixas rotações – a percepção é de que não faltará força para transpor obstáculos. Os 170 cv do 2.0 turbodiesel dão conta de acelerar a picape com desenvoltura e o câmbio automático de nove marchas rentabiliza eficientemente o trabalho do motor. A nona marcha só existe para eco­nomizar na velocidade de cruzeiro – a máxima é atingida em oitava. A picape acelera de zero a 100 km/h em pouco mais de 11 segundos. A primeira marcha com reduzida é indicada para uso no off-road – por conta disso, a picape arranca em segunda com o câmbio no modo Drive. Para selecionar a primeira marcha, basta usar o modo manual na alavanca.

Na versão Endurance, o acio­namento dos modos de tração integral é feito por singelas teclas posicionadas abaixo dos comandos do ar-condicionado. O comando 4×4 Low altera diversos sistemas para funcionar como uma reduzida. O controle eletrônico de descida entra em ação por outra tecla e é efetivo no fora-de-estrada. Em termos de estabilidade, a Toro se sai bem. Mesmo em velocidades mais elevadas, as suspensões MacPherson na frente e multilink atrás ajudam a conferir rodar consistente, com rolagens de carroceria discretas. A direção elétrica é como todas devem ser – leve nas manobras de estacionamento, enrijecendo progressivamente conforme a pi­cape ganha velocidade. Segundo o Inmetro, a configuração Endu­rance Turbodiesel AT9 da Toro faz 10 km/l na cidade e 12,6 km/l na estrada – nota “B” na comparação relativa na categoria e “D” na comparação absoluta geral.

A BORDO

Na Toro mais básica, a central multimídia touchscreen tem tela de sete polegadas e interface intuitiva. Os comandos no volante ajudam bastante, além da conectividade via Bluetooth. Porém, é a central multimídia que revela um ponto fraco da versão Endu­rance: a ausência da câmera de ré. O equipamento, comum em modelos bem mais baratos e que faz falta nas manobras de esta­cionamento, só está disponível a partir da versão Freedom – na Endurance, nem como opcional.

Os bancos frontais têm bons ajustes, mas os de trás têm o encosto um tanto verticalizado – uns graus a mais de inclinação tornariam as viagens mais confortáveis. A evolução dos porta-objetos é notável no interior da linha 2022. Estão mais numerosos e foram aprimorados – até o modelo anterior, era comum alguns objetos caírem nas acele­rações mais bruscas. O console central, por exemplo, ganhou dois porta-copos de 700 ml cada ao lado do freio de mão.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*