Política-ABC, Santo André, Sua região

Vereadora Bete Siraque pede recontratação de demitidos por terceirizada em Santo André

Bete Siraque pede recontratação de demitidos por terceirizada em Santo André
Bete Siraque: “em um momento tão difícil como o que estamos vivendo é dever dos governos preservar os empregos e a renda dos que mais precisam”. Foto: divulgação

A vereadora de Santo André Professora Bete Si­raque (PT) divulgou, nesta segunda (13), carta aberta em que solicita a recontratação dos demitidos por empresa terceirizada que presta serviços de conservação e limpeza para prefeitura.

Na semana passada, segundo a vereadora, a Asservo, responsá­vel pela limpeza das unidades escolares de Santo André, teve seu contrato suspenso parcialmente pela prefeitura, já que as unidades se encontram fechadas, e demitiu 479 funcionários.

“Em um momento tão difícil como o que estamos vivendo é dever dos governos preservar os empregos e a renda dos que mais precisam, por isso, pedimos ao prefeito Paulo Serra para que reconsidere sua decisão e retome a contratação da empresa”, afirma a vereadora, que sugere a realocação desses funcionários em ou­tras áreas da prefeitura, como os hospitais de campanha.

Na carta, direcionada ao prefeito Paulo Serra (PSDB) e aos vereadores, a petista afirmou que “diferentemen­te do governo federal, na cidade tem se feito medidas necessárias para a contenção do vírus de forma a abrandar a aceleração do processo de utilização do serviço público e privado de saúde. Entretanto, demitir 500 mães e pais de famílias, em meio a uma crise econômica de origem global é, no mínimo, muito desumano e um péssimo exemplo de cidadania”.

Segundo a vereadora, os demitidos são trabalhadores que ganham por volta de um salário mínimo e, em geral, moram nas periferias de Santo André. “É sobretudo no setor mais sensível da cidade que vai recair essa crise, agora. Sem essa renda, há o temor de mesmo faltar alimentos na casa dessas pessoas, o que é inima­ginável qualquer governante fazer nesse tempo em que vivemos”, pontuou.

Bete destacou no documento que poderiam ser utilizadas alternativas, como realocação para outras áreas da prefeitura que estão funcionando normalmente, nas próprias escolas que estão fazendo distribuição de kits de alimentação, bem como em hospitais de campanha.

“Solicitamos a revisão dessa suspensão de contrato, que se abra a negociação com a empresa e que faça a recontratação imediata desses funcionários”, afirmou.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*