Economia, Notícias

Vendas de veículos novos sobem 3,5% em outubro e têm melhor mês de 2020

Vendas de veículos novos sobem 3,5% em outubro e têm melhor mês de 2020
Com 215 mil unidades emplacadas, setor dá continuidade à retomada do tombo provocado pela pandemia

Ainda em recuperação do forte tombo provocado pe­la pande­mia de covid-19, as ven­das de veículos no­vos no país re­gistraram em ou­tubro o sexto mês consecutivo de aumento sobre o mês anterior e o me­lhor resultado deste ano.

Entre automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus foram emplacadas pouco mais de 215 mil unidades no mês passado. O volume é 3,5% superior ao apurado em setembro, mas 15,1% inferior ao licenciado em outubro de 2019 (veja gráfico ao lado).

Os dados têm como base o Registro Nacional de Veí­culos (Renavam) e foram di­­­vul­ga­dos ontem (4) pela Fe­­de­ração Nacional da Distri­­bui­ção de Veículos Auto­mo­tores (Fena­brave), entidade que re­pre­senta as concessionárias.

“O mercado vem, gradativamente, retomando bons patamares de venda. Ainda que com o mesmo número de dias úteis (21) de setembro, tivemos em outubro o maior volume de emplacamentos de 2020”, afirmou o presidente da Fenabrave, Alarico Assumpção Júnior.

Porém, no acumulado de janeiro a outubro, as vendas de veículos recuaram 30,4% frente ao volume dos dez pri­meiros meses de 2019, pa­ra 1,59 milhão de unidades – refletindo a paralisação do setor no auge da pandemia.

Para o fechamento do ano, a Fenabrave projeta queda de 28,9% nos emplacamentos, pa­ra 1,98 milhão de unidades.

SEGMENTOS

No corte por segmentos, o de carros e utilitários leves somou 205,2 mil unidades vendidas em outubro, alta de 3,3% em relação a setembro, mas queda de 14,9% ante igual mês de 2019. Trata-se também do melhor desempenho do ano.

“Isso reforça nossa expec­ta­tiva de retomada para o mer­cado de automóveis e comer­ciais leves. Notamos que os clientes estão mais confiantes e têm tomado a decisão de compra, que é facilitada pe­la maior oferta de crédito”, co­mentou Assumpção Júnior.

No acumulado do ano, as vendas de carros e comerciai­s leves tiveram retração de 30,9%, para 1,5 milhão de unidades.

No segmento de pesados, as vendas de caminhões subiram 7,8% frente a setembro, mas recuaram 16,1% ante ou­tubro de 2019, somando qua­se 8 mil unida­des. O resultado leva os licenciamentos desde janeiro para 70,6 mil uni­da­des, com queda de 16,2%.

“O mercado de caminhões segue aquecido, mas a falta de componentes ainda causa pro­ble­mas na produção. Por isso operamos com pedidos até para abril de 2021 em alguns mode­los”, disse Assumpção Júnior.

O segmento de ônibus teve 1,8 mil unidades emplacadas em outubro, alta de 19,9% ante o apurado em setembro. No acu­mulado do ano, porém, há queda de 33,8%, para 14,9 mil unidades. O nicho é o que registra o pior desempenho em 2020, de­vido às dificuldades enfrentadas pelas empresas de transporte em decorrência da pandemia.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*