Economia, Notícias

Vendas de pequenas empresas dao ABC caem pelo 3º ano seguido

As micro e pequenas empresas (MPEs) do ABC amargaram, em 2016, o terceiro ano consecutivo de queda real (considerada a inflação) nas vendas.

Impactado pela retração no consumo, o setor viu seu faturamento cair 15,6% no ano passado, segundo levantamento mensal divulgado ontem (7) pelo escritório paulista do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae-SP).

Em 2014, a pesquisa – realizada em parceria com a Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (Seade) – já havia detectado recuo de 4,6% nas vendas das MPEs da região e, no ano seguinte, de 16,2%. No triênio, a retração acumulada é de 32,5%.

Em nota, o Sebrae-SP atri­buiu o péssimo resultado ao “fraco desempenho das indústrias instaladas no ABC”. O setor fabril é o que mais tem sofrido com a recessão, principalmente a cadeia automotiva, que tem MPEs co­mo subfornecedoras de produtos e serviços.

Em linha com a retração no faturamento, o pessoal ocupado nas MPEs da região caiu 13,2%, enquanto a folha salarial encolheu 19,6%. Único indicador positivo, o rendimento médio dos empregados cresceu 4,8%.

Estado

O resultado do ABC acompanhou o péssimo desempenho das MPEs paulistas. No Estado de São Paulo, o faturamento do setor despencou 9,8% em 2016 na comparação com o ano anterior, para R$ 589,1 bilhões, o que significa que quase R$ 64 bilhões deixaram de entrar no caixa das empresas.

Porém, as vendas cresceram 7,6% em dezembro na comparação com o mesmo mês do ano passado, in­terrompendo 23 meses consecutivos de queda – o que, na avaliação do Sebrae-SP, pode significar o início da recuperação do setor.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*