Brasileirão, Esportes

Velha guarda do Corinthians leva time nas costas no Brasileiro

Cássio, Ralf, Jadson, Sheik e Danilo: além de serem ídolos do Corinthians, os cinco têm em comum o fato de terem passado da casa dos 30 anos. Toda essa experiência vem sendo crucial neste ano e, agora, responsável por reduzir a quase 1% a chance de queda no Brasileirão, segundo o site Chance de Gol.

Enquanto o presidente do Corinthians, Andrés Sanchez, apostou na contratação de jovens ao longo do ano – Mateus Vital, 20 anos; Douglas, 21; Araos, 21; e Sergio Díaz, 20 –, foi a “velha guarda” que cresceu nos momentos decisivos.

Aos 35 anos, Jadson carrega a camisa 10 nas costas e, além de ser o maior garçom da equipe no ano, com 12 assistências, também é o arti­lheiro do time, com 15 gols.

Com o meia decidindo na frente, na defesa é Cássio, 31 anos, quem dá segurança ao Corinthians. O goleiro faz mais uma grande temporada, com média de 3,5 defesas – uma difícil – por jogo no Nacional.

Ralf, 34 anos, deixou o eficiente Gabriel, 26, no banco e é o carregador de piano. É o volante quem assume maior responsabilidade no sistema defensivo, que sofre com as oscilações de Léo Santos, Henrique e Danilo Avelar.

Entre os reservas, Danilo e Sheik se destacam. Aos 39 anos, o meia fez dois gols, um deles de bicicleta, sobre o Bahia. Já Emerson, 40 anos, tem sido o titular nos últimos jogos.

Os atletas mais experientes também servem como exemplo para a garotada que chegou. Danilo, por exemplo, é a referência de Mateus Vital.

“Danilo é um espelho para nós. Você chega no Corinthians e vê Sheik, Danilo, Cássio, caras multicampeões, ídolos. São exemplos para nós”, disse Vital, contratado em janeiro.

Jair Ventura também reconhece a importância de jogadores como Danilo e destaca a paciência do meia para ganhar uma chance. “Olhar para o lado e ver Danilo esperando a chance serve de exemplo.”

 

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*