Arte & Lazer, TV

Vazão de hidrelétrica era maior quando Montagner se afogou

No momento em que o ator Domingos Montagner morreu ao se afogar no rio São Francisco, em 15 de setembro, a vazão da hidrelétrica de Xingó (SE), próximo do local do acidente, era cerca de 12% maior do que na hora anterior ao afogamento. É o que mostra um documento divulgado pelo site The Intercept Brasil na última quarta (28).

A primeira informação sobre o afogamento do ator chegou aos bombeiros às 13h56 daquela quinta, o que sugere que o acidente tenha acontecido pouco tempo antes.

De acordo com dados da Chesf (Companhia Hidrelétrica do São Francisco, administradora da usina), na faixa entre 13h e 14h, o fluxo de água liberado pela hidrelétrica de Xingó, a 2 quilômetros rio acima da Prainha, subiu de 814 metros cúbicos por segundo (m³/s) para 913 m³/s. Às 15h, o volume atingiu o ápice do dia, chegando a 970 m³/s. Nas horas seguintes, houve redução gradativamente.

O aumento no fluxo de água é realizado nos horários de pico do uso da rede elétrica para fornecer mais energia. Com isso, a correnteza aumenta rio abaixo.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*