Política-ABC, Regional, Sua região

Tucanos destroem ‘cinturão vermelho’ e elegem 11 prefeitos na Grande SP

Guti interrompeu 16 anos de governos do PT em Guarulhos. Foto: Ronny Santos/Folhapress

O segundo turno das eleições municipais consolidou, ontem (30), o fim do chamado “cinturão vermelho” – grupo de municípios situados no entorno da Capital governados por petistas – com a derrota nas urnas de Donisete Braga em Mauá e de Carlos Grana em Santo André.

Mostrou também a força do PSDB do governador Geraldo Alckmin na região metropolitana. Os tucanos conseguiram o feito inédito de conquistar 11 prefeituras na Grande São Paulo.

O PT tem atualmente nove prefeituras sob seu comando na região metropolitana, mas vai administrar apenas uma a partir de 1º de janeiro de 2017, a de Franco da Rocha.

Além de Santo André, Mauá e São Bernardo, onde o prefeito Luiz Marinho não conseguiu emplacar seu sucessor – Tarcisio Secoli (PT) foi derrotado ainda no primeiro turno –, o partido perdeu as prefeituras da Capital e de Guarulhos, Osasco, Carapicuíba e Embu das Artes.

O PSDB foi o partido que se saiu melhor na região metropolitana, elegendo 11 prefeitos. Em segundo lugar aparecem PR, com seis municípios; PSB, com cinco; e PRB, com quatro. PTB e PV elegeram três prefeitos cada. PSD e PTN ficaram com dois eleitos cada e PMDB, PT e SD elegeram apenas um prefeiturável.

Alguns candidatos que pertencem a partidos da base de Alckmin afirmaram, ao longo da campanha, que sua interlocução com o Palácio dos Bandeirantes poderia levar seu município a receber mais recursos do Estado.

É o caso do ex-vereador Gustavo Henric Costa, o Guti (PSB), que se elegeu em Guarulhos, segunda maior cidade da Grande São Paulo. Em entrevista à Folha de S.Paulo no último dia 14, Guti explicou que foi convidado a entrar no PSB pelo vice-go­vernador Márcio França.
“(França) me convidou para ir ao Palácio (dos Bandeirantes) e mostrou o plano de ação do PSB, que eles acreditam na nova política”, afirmou. Prometeu que, com sua eleição, Guarulhos – que foi governada pelo PT nos últimos 16 anos – passaria a ter as “portas abertas para o governo do Estado”.

Outro aliado de Alckmin se elegeu em Osasco: Rogério Lins (PTN) venceu o atual prefeito, o pedetista Jorge Lapas. Antes da eleição, nas redes sociais, a campanha de Lins afirmou que aliança deveria “reestabelecer” a relação da cidade – governada pelo PT durante 12 anos, até a saída de Lapas do partido em março – com o governo do Estado.

Lins afirma que Alckmin teria prometido aumentar investimentos na cidade.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*