Política-ABC, Santo André, Sua região

Tucano mantém tarifa de ônibus em R$ 4,20 e PSOL aciona o Ministério Público

Ontem, manifestantes realizaram ato contra reajuste. Foto: Carla de Gragnani especial para o DR

O decreto que reajusta a tarifa dos ônibus municipais de R$ 3,80 para R$ 4,20 – publicado no apagar das luzes da gestão Carlos Grana (PT) – deverá ser mantido pelo novo prefeito, Paulo Serra (PSDB). Em coletiva de imprensa concedida ontem (3), o tucano responsabilizou a administração petista pelo aumento das passagens, mas evitou falar em possível revogação da medida. “A revogação pode ser popular, mas não pode ser feita de forma impensada”, ressaltou.

Diante do posicionamento do tucano, o PSOL andreense promete entrar hoje (4) com ação no Ministério Público (MP) requerendo a revisão do reajuste. No documento, a legenda alega falta de transparência e critica a transferência do ônus da crise econômica para a população.

Questionado sobre a majoração da tarifa, já considerada alta pela população, Serra afirmou que “tudo é caro”, e que vai analisar a composição do valor estabelecido no decreto. “Ainda não tivemos tempo para isso. Além disso, estamos avaliando o comportamento de outras cidades na região metropolitana. Temos uma grande oportunidade, discutir a tarifa é muito simplista”, completou, acrescentando estar aberto ao diálogo com movimentos sociais.

Membro do Comitê Unificado Contra o Aumento das Passagens, o secretário do PSOL de Santo André, Francisco Chicão Oliveira, porém, afirmou ter procurado o chefe de Assuntos Estratégicos da nova administração, Leandro Petrin, nesta terça-feira (3) para pedir a revogação do aumento, mas não foi atendido pela equipe do advogado.

“Alegaram problema de agenda. De qualquer forma, lanço um desafio ao prefeito Paulo Serra. Se quer provar que não tem vínculo com as empresas de transporte, tem de revogar. Caso contrário é igual a todos os outros”, disse Chicão.

Ontem (3), representantes do Comitê realizaram ato contra o reajuste em frente à estação Celso Daniel da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM).

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*