Últimas Notícias

Trabalhadores e empresários querem ir aos EUA para reverter nova tarifa do aço

O deputado Paulinho da Força (SD-SP) disse nesta terça-feira (20) que solicitou ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que promova encontros de representantes dos trabalhadores e empresários brasileiros com autoridades norte-americanas na tentativa de reverter o aumento das tarifas de importação de aço impostas no início do mês pelos Estados Unidos.

De acordo com o deputado, que é presidente da Força Sindical, o objetivo é influenciar a decisão dos congressistas que devem apreciar a medida adotada por Donald Trump. Para isso, informou, Rodrigo Maia sinalizou positivamente com o envio de uma carta para o embaixador do país no Brasil, Michael McKinley. Além disso, os representantes dos trabalhadores e de empresas brasileiras ligadas ao aço querem ir até os Estados Unidos para conversar com o presidente do Congresso dos Estados Unidos sobre o assunto.

“Essa sobretaxa significa perda de empregos aqui. É um desastre no setor do aço. Milhares de pessoas vão perder empregos. Acho que o Congresso tem que se ater a isso para tentar segurar esses empregos”, afirmou. Participaram do encontro, além da Força Sindical, representantes da Central Única dos Trabalhadores e de empresas ligadas à produção e comercialização do aço.

Segundo o deputado, o setor conta atualmente com 140 mil trabalhadores diretos e cerca de 1 milhão de indiretos. Ele lembrou que o Brasil é o segundo maior exportador de aço para os Estados Unidos.

Caso a audiência entre os chefes dos Legislativos dos dois países seja agendada, a ideia é que uma delegação composta por deputados, sindicalistas e empresários fosse até Washington nas próximas semanas.

Do lado dos empresários, estiveram presentes o presidente-executivo do Instituto Aço Brasil, Marco Pollo de Mello Lopes, o CEO da California Steel, Marcelo Botelho Rodrigues, além de representantes da Usiminas, da Companhia Siderúrgica Nacional e da empresa Villares Metals.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*