Economia, Notícias

Trabalhadores da Toyota em São Bernardo aprovam reajuste de 10,42%

Trabalhadores da Toyota em São Bernardo aprovam reajuste de 10,42%
Damasceno: “A Toyota teve coerência, revisou os números a partir do seu planejamento de produção e venda e valorizou o esforço dos trabalhadores”. Foto: Adonis Guerra/SMABC

Os trabalhadores da fábrica da Toyota, em São Bernardo, aprovaram em duas assembleias realizadas nesta quarta-feira (29) acordo negociado entre o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC e a direção da empresa, que garantiu reajuste pela inflação acumulada de setembro de 2020 a agosto deste ano, de 10,42%, além da inclusão de vale-alimentação e da renovação das cláusulas sociais vigentes. Também foi incluída no Acordo Coletivo de Trabalho a cláusula de preferência para contratação de trabalhadores vacinados, a partir de janeiro.

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) de 10,42% será aplicado aos salários de forma retroativa, a partir de 1º de setembro. O vale-alimentação será pago a partir de novembro. “A conquista do vale-alimentação é muito significativa, pois se trata de ganho real. Diante do aumento do custo de vida, da alta nos preços dos alimentos, essa quantia vai aliviar um pouco o orçamento”, destacou o diretor administrativo do sindicato, Wellington Damasceno.

O dirigente lembrou que, durante a negociação, a empresa propôs reajuste menor, mas se reposicionou e, com a mobilização dos metalúrgicos, foi possível chegar a um acordo melhor. “A Toyota teve coerência, fez revisão dos números a partir do seu planejamento de produção e venda e valorizou o esforço dos trabalhadores, sobretudo no ano passado e em 2017. Assim, chegamos aos 10,42%.”

Damasceno frisou que, em todas as discussões realizadas com a direção da fábrica, a pauta tem incluído também a garantia do futuro da empresa em São Bernardo. “Queremos discutir o futuro dessa planta, se será uma fábrica de componentes, quais peças vamos produzir e quais investimentos vamos receber. Também queremos debater o que pode ser feito para garantir empregos e gerar novos. As conversas são feitas sempre tendo em mente que uma grande empresa aqui estimula outras a estar ou vir para a região.”

MONTADORAS

Com a aprovação do acordo na Toyota, o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC finaliza as negociações de campanha salarial de 2021 com as montadoras. Há cerca de 20 dias os trabalhadores aprovaram o acordo na Scania. Na Volkswagen e Mercedes-Benz não houve negociações de campanha salarial este ano, pois em ambas ainda estão em vigência os acordos de longa duração aprovados no ano passado.

A campanha salarial nas demais empresas da base segue conduzida pela Federação Estadual dos Metalúrgicos da Central Única dos Trabalhadores (FEM-CUT). Na segunda, a federação protocolou aviso de greve para os grupos patronais G10 e o G10 Aeroespacial, que há cinco anos não fecham a Convenção Coletiva de Trabalho com a FEM-CUT. O setor aeroespacial aceita o reajuste pelo INPC de 10,42%, mas a proposta foi rejeitada porque não houve acordo com relação às cláusulas sociais. O G10 tradicional não apresentou proposta.

Os demais grupos que ainda não fecharam acordo este ano – G2 (máquinas, aparelhos elétricos, eletrônicos), Siniem (estamparia) e Siamfesp (artefatos de metais não ferrosos) – continuam em negociação com a FEM-CUT.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*