Economia, Notícias

Trabalhadores da Ford aprovam acordo de estabilidade até novembro de 2019

Trabalhadores da Ford aprovam acordo de estabilidade até novembro de 2019
Paraíba: “O acordo tranquiliza os trabalhadores, mas não o sindicato”. Foto: Edu Guimarães/SMABC

Os trabalhadores da fábrica da Ford em São Bernardo aprovaram, ontem (19), acordo negociado pelo Sindicato dos Metalúrgicos do ABC que garante aos 3,2 mil funcionários da unidade estabilidade no emprego até novembro de 2019.

O novo acordo prevê a reposição da inflação na data-base da categoria (1º de setembro) pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC). Também inclui o pagamento, em maio e dezembro deste ano, da Participação nos Lucros e Resultados (PLR) corrigida pe­lo INPC e a antecipação, para fevereiro de 2019, do pagamento da primeira parcela do 13º salário do mesmo ano.

De acordo com o sindicato, após ajuste de mão de obra que ainda será realizado pela montadora, os trabalhadores da área administrativa (mensalistas) também serão contemplados pelo acordo.

Segundo o coordenador da representação sindical na Ford, José Quixabeira de Anchieta, o Paraíba, haverá nova negociação caso a montadora anuncie investimentos na planta. Assim, o acordo poderá ser revisto.

O sindicato se queixa da falta de investimentos na fábrica de São Bernardo, que produz o compacto Fiesta e os caminhões das linhas Cargo e Série F. Da planta de Camaçari (BA), por sua vez, saem os compactos Ka e Ka Sedan, além do utilitário esportivo Ecosport.

“O acordo tranquiliza os trabalhadores, mas não o sin­dicato. Pautamos a estabilidade justamente porque não há lançamento de novos produtos. Caso a empresa nos comunique investimentos voltaremos às negociações. Queremos ter produção no ABC por muitos anos e precisamos construir essa negociação”, explicou.

Volkswagen, General Motors, Mercedes-Benz e Scania já anunciaram, recentemente, investimentos em suas unidades na região, na esteira da recuperação do setor automotivo.

A Ford emplacou 49,7 mil automóveis e comerciais leves no primeiro trimestre, volume 17,2% superior ao licenciado no mesmo período do ano passado (42,4 mil). Na mesma comparação, o setor como um todo avançou 14,7%.

A montadora também ven­deu 1,7 mil caminhões, volume 10% superior ao apurado nos três primeiros meses do ano passado (1,5 mil). Os emplacamentos no mercado de pesados avançaram 49,3% na mesma comparação.

Histórico

O sindicato discutia novo acordo de estabilidade com a Ford há cerca de um ano. “Foi muito importante ter a renovação da convenção coletiva na totalidade, pois todos os direitos dos trabalhadores estão garantidos sem aplicação da reforma trabalhista”, afirmou o diretor executivo da entidade, Alexandre Colombo.

Em 2016, a Ford unificou as linhas de produção de automóveis e caminhões da unidade. À época, a empresa atribuiu a decisão à ociosidade na fábrica decorrente da crise econômica.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*