Esportes, Paulistão

Técnicos de Palmeiras e Oeste protagonizam duelo de gerações

Técnicos de Palmeiras e Oeste protagonizam duelo de gerações
Renan: “Ser jovem ou experiente é a mesma coisa. Não deu resultado? É demissão”. Foto: Jefferson Vieira/Oeste

Quando o técnico do Oes­te, Renan Freitas, 34 anos, nasceu, seu adversário de ho­je (30), às 21h, na Arena Barueri, o palmeirense Luiz Felipe Scolari, 70, estava à fren­te de sua terceira equipe, o Al Shabab, da Arábia Saudita.

No duelo da quarta rodada do Paulista, estarão frente a fren­te o técnico mais jovem e o mais velho do Estadual.

É a segunda chance de Frei­tas de mostrar que pode trilhar o caminho de sucesso. Em 2016, aos 31 anos, o técnico teve duro aprendizado e foi demitido do Oeste a duas rodadas do final da primeira fase do Paulista. Disputou 13 jogos, com três vitórias, três empates e sete derrotas.

“Ser jovem ou experiente é a mesma coisa. Não teve os resultados esperados? A demissão acontece”, afirmou.

Na época, Renan foi demi­tido pelo próprio pai, Aparecido de Freitas, o Cidão, que é o homem forte do clube. “Nossa relação de pai e fi­lho é fora de campo. Aqui (aponta a área técnica) sou empregado e tenho de mostrar resultados.”

“Tudo o que eu conquistei foi pelos meus méritos. Estudei e trabalhei muito para chegar até aqui”, afirmou.

Como a maioria dos garotos, sonhava em ser jogador de futebol de sucesso. Na adolescência, porém, chegou à conclusão de que não tinha o talento necessário. “Fui estudar marketing. Depois, eu fui trabalhar na área e vi que seria ainda mais difícil. Eu não entendia nada de marketing”, lembrou o treinador, que foi chamado pelo seu pai para o departamento de marketing do Oeste.

Para disputar a primeira divisão do Paulista em 2009, o clube teve de reorganizar suas categorias de base. Foi aí que Renan viu a oportunidade de ir para o campo e começar a se formar na profissão de treinador de futebol.

Como auxiliar técnico, percebeu que poderia, com poucos recursos, ajudar o departamento de futebol. Implementou um departamento de análise de desempenho e estatísticas e estudou adversários e formas mais modernas de treinamento.

A troca de informações com os técnicos do profissional o aproximou da função. Em 2011, virou membro da comissão técnica. No ano seguinte, deu um salto decisivo na sua carreira. “Eu ajudava nos treinamentos, mas não ia para os jogos. O Roberto Cavalo gostou do meu trabalho e me deu a oportunidade de ficar com ele no banco”, lembrou.

Renan foi chamado para voltar ao Oeste no ano passado, com Roberto Cavalo como técnico. Juntos, conseguiram o acesso à elite do Paulista e sofreram para escapar da queda à Série C do Brasileiro.

Tudo caminhava para que fosse mantido como auxili­ar, mas Cavalo não acertou a renovação. O clube contratou Marcelo Chamusca, que rompeu o acordo dias depois e foi para o Vitória. O cargo caiu no colo de Freitas. “Hoje eu me sinto preparado.”

 

OESTE X PALMEIRAS

Ár­bi­tro: Salim Fende Chavez. Estádio: Arena Barueri, às 21h. TV: pay-per-view.

OESTE
Matheus Cavichioli; Cicinho, Maracás, Kanu, Alyson; Matheus Jesus, Betinho, Elvis, Mazinho, Bruno Lopes; Roberto. Técnico: Renan Freitas.

PALMEIRAS
Weverton; Marcos Rocha, Antônio Carlos, Edu Dracena, Victor Luis; Thiago Santos, Bruno Henrique, Zé Rafael; Gustavo Scarpa, Felipe Pires, Deyverson. Técnico: Luiz Felipe Scolari.

 

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*