Política-ABC, Sua região

Tarifas de ônibus de Mauá e Santo André subirão para R$ 4,20

A partir de amanhã, quem utiliza transporte coletivo em Mauá pagará mais caro pela passagem. Foto: Arquivo

Sem discussão ou aviso prévio, os prefeitos de Santo André e Mauá, Carlos Grana (PT) e Donisete Braga (PT), respectivamente, decidiram aumentar os valores das tarifas do transporte público dos atuais R$ 3,80 para R$ 4,20 a partir de amanhã (31), no caso de Mauá, e a partir do dia 3 de janeiro, em Santo André. As decisões foram publicadas no Diário Oficial de ambas as cidades nos dias 28 e 29. O reajuste está acima da inflação registrada nos últimos 12 meses.

Em ambos os casos, os decretos também estabelecem novo valor para o vale-transporte pago pelas empresas, que passa de R$ 4,50 para R$ 5. Durante a campanha, Grana havia sustentado que voltaria atrás da decisão de aumentar o valor do vale-transporte de R$ 3,50 para R$ 4,50, em eventual recondução ao comando do Paço. Na ocasião, o petista afirmou que foi “induzido ao erro” por sua equipe à época do reajuste – anunciado em julho do ano passado.

Procuradas, as prefeituras de Mauá e Santo André não se manifestaram sobre o reajuste das passagens. Em São Bernardo, o prefeito eleito, Orlando Morando (PSDB), havia garantido durante a campanha que não aumentaria o valor das tarifas na cidade.

O prefeito de Diadema, Lauro Michels (PV), criticou a atitude de Grana e Donisete de darem reajuste sem discutir a medida em âmbito do Consórcio Intermunicipal. “Foi uma atitude isolada. Existe o Consórcio para discussão desse tipo de medida entre os prefeitos. Se é para tomar decisões isoladas, então, acaba com o Consórcio, quer só dá prejuízo”, afirmou. Apesar do reajuste, as gratuidades a estudantes e idosos não foram alteradas.

Ato 

Em nota, o PSOL de Mauá convocou estudantes e trabalhadores a “ficar atentos” e a participar das mobilizações contra o aumento da passagem. Um ato contra o reajuste já está marcado para o dia 6 de janeiro, às 14h, na estação de Mauá da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), situado na rua Rio Branco, região central.

A sigla também pressiona para que o prefeito eleito Atila Jacomussi (PSB), revogue a decisão de seu antecessor após a posse, uma vez que o pessebista sustentou ao longo da campanha que manteria as tarifas de ônibus em R$ 3,80 durante sua gestão. “Esperamos que Atila Jacomussi tenha coragem de revogar o decreto e abrir ampla dis­cussão com a população mauaense sobre o financiamento do transporte coletivo”, informou o partido.

Estado e Capital

As tarifas de trem, metrô e ônibus em São Paulo serão mantidas nos atuais R$ 3,80 durante o ano que vem. A decisão foi tomada em conjunto pelo prefeito eleito da Capital, João Dória (PSDB), e por seu padrinho político, o governador Geraldo Alckmin (PSDB). O anúncio será feito em comunicado assinado pela equipe de Doria e pelo governo paulista hoje (30).

Dória estuda suspender o benefício concedido aos idosos como forma de amenizar o prejuízo supostamente causado pelo congelamento da tarifa em R$ 3,80.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*