Editorias, Notícias, Política

Suplicy: ‘quero voltar ao Senado e continuar luta para a construção um Brasil mais justo’

Suplicy: ‘quero voltar ao Senado e continuar luta para a construção um Brasil mais justo’
Suplicy completa este ano quatro décadas desde que foi eleito pela primeira vez, em 1978. Foto: Arquivo

Líder nas pesquisas de intenção de votos, Eduardo Suplicy (PT) disputa vaga no Senado, onde ocupou por 24 anos uma cadeira. Em 2014, apesar de ter conseguido 32,5% dos votos (6,6 milhões), José Serra (PSDB) ficou com a vaga. Suplicy afirmou, em entrevista ao Diário Regional, que quer voltar ao Senado para “continuar a luta para a construção de um Brasil justo, solidário, fraterno e onde todas as pessoas possam viver com dignidade e liberdade real”.

O candidato completa este ano quatro décadas desde que foi eleito pela primeira vez, em 1978, deputado estadual pelo MDB. Suplicy, que é cofundador do PT, após perder a vaga para Serra, assumiu como secretário de Direitos Humanos e Cidadania de São Paulo e, em 2016, saiu candidato a vereador de São Paulo.

“Aí aconteceu comigo o que o Paulo Vanzolini (compositor brasileiro) diz quando se tem um problema: ‘o homem de moral, se tem uma queda, não desanima. Nem mesmo segura a mão da mulher que lhe estende a mão. Levanta, sacode a poeira e dá volta por cima’. Então, o povo de São Paulo me fez dar a volta por cima. Deu 301.446 votos, que voltou a ser recorde na história de São Paulo e do Brasil”, destacou.

Suplicy afirma que vai continuar lutando pelo aperfeiçoamento do sistema de transferência de renda. “A partir do programa de garantia de renda mínima, por meio do imposto de renda negativo, projeto que apresentei em abril de 1991, surgiram as ideias do que vieram a ser o bolsa escola, o bolsa alimentação, o auxílio gás, o cartão alimentação, já no governo Lula, e a racionalização desses quatros programas no que veio a ser chamado Bolsa Família, que em dezembro de 2003 tinha 3,5 milhões de famílias inscritas e beneficiárias e chegou a atingir o pico de 14.204 mi­lhões de famílias beneficiárias durante o governo Dilma. Infelizmente, no governo Temer vem diminuindo e hoje tem cerca de 13.770 milhões de beneficiados”, destacou.

O petista também defende o estímulo às cooperativas de produção. Suplicy destacou que ao longo de seus mandatos apresentou projetos relativos ao cooperativismo e que, em eventual mandato, vai continuar na defesa da expansão do microcrédito. “Sempre apoiei muito os objetivos do saudoso professor Paul Singer, secretário Nacional de Economia Solidária. O microcrédito confere a pessoas que não têm patrimônio, mas habilidades para, por exemplo, adquirir um instrumento de trabalho e conseguir realizar algo que possa lhes garantir dignidade e ainda ter meios de pagar o empréstimo”, afirmou.

 LIDERANÇA

Suplicy, que conta com o respeito tanto da direita e da esquerda e passou incólume nas denúncias de corrupção que o PT sofreu, acredita que a liderança nas pesquisas de intenção de votos se dá “ao conjunto de tudo que defendido e praticado”. “Primeiramente, sou consistente com os propósitos do Partido dos Trabalhadores, onde muito me empenhei. Porém, ao longo de meu mandato sempre defendi muito a transparência nos atos da administração pública. Me empenhei para que houvesse sempre a melhoria dos serviços de saúde pública. Para que o Sistema Único de Saúde (SUS), estabelecido na Constituição, tivesse sempre o me­lhor desempenho. Com isso, por onde passo ouço das pessoas: ‘você tem voltar‘. Quero voltar ao Senado para conti­nuar a luta para a construção de um Brasil justo”, pontuou.

Print Friendly, PDF & Email

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*