Uncategorized

Sorocaba volta a ter hospitais lotados e registra mais 62 mortes pela covid

Depois de alguns dias de trégua, a pandemia voltou a bater recorde, nesta segunda-feira, 5, em Sorocaba, interior de São Paulo. No dia em que os hospitais voltaram a registrar 100% de lotação dos leitos para covid, o boletim divulgado pela Secretaria Municipal da Saúde trouxe os nomes de 62 novas vítimas do coronavírus. A prefeitura ressaltou que nem todos os óbitos aconteceram nas últimas 24 horas – muitos são do final de março -, mas considerou a situação preocupante.

Nenhuma outra cidade do interior registrou um número tão elevado de óbitos em boletins desta segunda-feira. Em Campinas foram 29 novos óbitos, em São José do Rio Preto, 26, e em Jundiaí, 18. O maior registro anterior em Sorocaba tinha sido no dia 29 de março, quando o boletim informou a morte de 54 pessoas. O total de óbitos passou para 1.194.

A nova lista de vítimas inclui três homens e uma mulher na faixa dos 40 anos sem comorbidades. A cidade já teve confirmada a circulação de seis variantes do novo coronavírus, entre elas uma variante semelhante à da África do Sul que pode ser uma nova cepa no País. Sorocaba registrou ainda 519 novos casos da doença, totalizando 46.094 pessoas infectadas desde o início da pandemia.

A cidade, que encerrou a semana passada com alguma folga na rede hospitalar, voltou a registrar alta ocupação de leitos para covid. Os hospitais estaduais Adib Jatene e Conjunto Hospitalar de Sorocaba estavam com todos os leitos de UTI ocupados. Também estavam 100% ocupados os leitos de UTI covid da Santa Casa contratados pelo município. Havia 100% de ocupação em UTIs covid dos hospitais Santa Lucinda e Amhemed. Na rede hospitalar privada, a ocupação de leitos de UTI também estava próxima de 100%. À noite, 115 pacientes estavam internados em UTI e outros 61 aguardavam vagas para tratamento intensivo.

A prefeitura informou que o número de óbitos contabilizados no dia não representa os dados das últimas 24 horas, uma vez que existe uma lacuna de tempo entre as datas em que eles ocorrem e sua informação pelos hospitais à Vigilância Epidemiológica, para que seja feita a divulgação. “A prefeitura reforça que é preciso que as pessoas continuem seguindo todas as medidas preventivas”, disse, em nota.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*