Histórias da gente

Sócios na vida e nos negócios

untos há 19 anos, a história de Cynthia e Gustavo Fuchs de Jesus com a Calçados Bibi começou como consumidores da marca, ao adquirir produtos para as filhas, quando mais novas. Foto: Divulgação
untos há 19 anos, a história de Cynthia e Gustavo Fuchs de Jesus com a Calçados Bibi começou como consumidores da marca, ao adquirir produtos para as filhas, quando mais novas. Foto: Divulgação

Dez casais de empresários provam que o sucesso de uma parceria amorosa pode, sim, se repetir na vida profissional  

É quase impossível negar que trabalhar na companhia do parceiro amoroso pode oferecer grandes desafios. Isto porque, conciliar vida profissional e afetiva e, ao mesmo tempo, separar os dois âmbitos para que não se tornem uma coisa só, exige muito equilíbrio e disciplina. Mas, há quem consiga lidar tão bem com isso que não apenas obtém sucesso nos negócios, como percebe que o relacionamento se torna ainda mais forte com o passar do tempo. Dizem que os casados são eternos namorados. E como há muitas variações para um ditado que fala de união e permanência, para celebrar o mês dos namorados, conheça dez histórias de casais que empreenderam juntos e que permanecem ainda mais juntos, mesmo em meio aos desafios do dia a dia e do mundo dos negócios.

5àsec — Mais perto de casa e dos filhos

O casal Wellington Araújo e Camila Cristina buscou empreender para ter mais tempo com os filhos e uma renda complementar. Os empresários foram os responsáveis por levar a primeira operação da 5àsec para Teresópolis, região serrana do Rio de Janeiro. “Meu marido e eu sempre trabalhamos na Grande Rio. São 100 km de distância entre as cidades e, com dois filhos, a rotina começou a ficar sobrecarregada. Por este motivo, buscamos um negócio para abrir na nossa região, ficando mais próximos das crianças e ainda ter uma renda estável e recorrente. Este é o nosso primeiro investimento como empresários e, antes de ingressar juntos no segmento de franquias, avaliamos todas as opções no mercado. O suporte, estrutura e história da marca, além de saber que é um modelo testado no comércio, nos ajudou em definitivo para fecharmos com a 5àsec”, conta Camila.

Água Doce Sabores do Brasil — Das comemorações para o dia a dia

A história do casal Santana com a Água Doce Sabores do Brasil começou em 1998. Ao visitar o restaurante localizado em Avaré, no interior de São Paulo, Valdeci Santana se apaixonou pelos pratos, atendimento e ambiente diferenciado. Devido a isso, o administrador de empresas elegeu as unidades da marca como ponto de comemoração para todas as datas especiais, como o primeiro Dia dos Namorados com sua agora esposa, Cinara. De cliente se tornou franqueado do restaurante da rede em Itapeva, também em solo paulista.

“Fiz carreira no segmento de agronegócio e sempre que viajava a trabalho perguntava no local se tinha uma unidade da Água Doce próxima. Sou encantado por todo os pratos da rede. Com a chegada da pandemia, em 2020, decidi mudar e realizar um sonho antigo, que era empreender. A única condição é que isso seria realizado com a marca que está presente há mais de 20 anos em minha vida, pois não tinha como abrir o próprio negócio se não fosse por meio de um restaurante da rede que eu mais admiro”, comenta Valdeci. Hoje, ele e a esposa comandam juntos a operação.

Calçados Bibi — De consumidores fiéis da marca a donos de uma franquia

Juntos há 19 anos, a história de Cynthia e Gustavo Fuchs de Jesus com a Calçados Bibi começou como consumidores da marca, ao adquirir produtos para as filhas, quando mais novas. Com a chegada da aposentadoria como bancário, Gustavo e a esposa decidiram investir em um empreendimento que alinhasse valores, propósito, retorno financeiro e emocional com segurança. A ideia de buscar uma franquia foi de Cynthia e a escolha pela Bibi se deu pela lembrança da qualidade, conforto e leveza dos calçados que compravam quando eram clientes.
“Hoje, como franqueados da marca com uma unidade localizada em Niterói, no Rio de Janeiro, vemos que os diferenciais da Bibi são mais amplos e vão além da qualidade, pois os calçados contam com a segurança de serem livres de substâncias tóxicas. Além disso, a rede possui o propósito de fazer o bem, um passinho por vez, com ações voltadas às comunidades, por exemplo, além de todo o know-how da franquia. Por todas essas razões, está nos nossos planos expandir com abertura de novas operações da marca”, comenta Gustavo.
Casa do Construtor — “Química” no amor e nos negócios

Carlos e Ellen Alencar, franqueados da Casa do Construtor de Teresina (PI) com duas lojas, são casados há 15 anos e há 11 ingressaram na rede. “Sempre sonhamos em ser empresários”, conta Ellen. Carlos, engenheiro, disse que ao decidir por empreender, a opção por uma franquia de locação de equipamentos na área de construção civil foi a melhor. Ellen, jornalista, trabalhou por um tempo em sua área, interrompeu a carreira para cuidar das filhas e desde 2021 dedica-se exclusivamente às franquias.
Carlos sempre esteve à frente dos negócios e quando a esposa decidiu se juntar a ele na gestão das lojas, ele lembra que pessoas próximas perguntaram se daria certo o casal trabalhar junto. “No nosso caso foi até melhor. Nos unimos ainda mais”, afirma. Enquanto Carlos cuida das finanças, administração e operação, Ellen gerencia a comunicação e o RH das unidades. “Unimos nossos pontos fortes e melhoramos em todos os sentidos”, ressalta ele. “Nossa ‘química’ se deu em todos os sentidos e não imagino parceria melhor”, completa ela. Pais de duas meninas, de 12 e 10 anos, a segunda filha nasceu justamente três meses antes de o casal inaugurar a segunda loja. De acordo com Carlos, ambos já planejam abrir a terceira franquia da Casa do Construtor e expandir ainda mais seus negócios na rede.

Divino Fogão — Uma guinada de 180 graus

Casados desde 2008, mas há 22 anos juntos, Adriana e Alessandro Caires eram funcionários de empresas privadas, em São Paulo, quando resolveram seguir o sonho de morar no Nordeste e se tornarem empreendedores, para serem parceiros de negócios. Com a vivência em bares e restaurantes por ter crescido nesse meio, Alessandro tinha em mente seguir a veia da família e abrir um negócio no segmento de alimentação. Após um ano de união, o casal recebeu uma proposta, por intermédio de familiares que já atuavam na rede, de levar a primeira operação do Divino Fogão, rede com 199 pontos de venda focados na culinária da fazenda, para Alagoas.
Não pensaram duas vezes, pediram demissão dos trabalhos, juntaram todas as economias e partiram para realizar o desejo de serem seus próprios chefes em Maceió, capital alagoana. “Administramos a operação por dois anos, quando recebemos o convite de assumir dois restaurantes da marca em Natal, no Rio Grande do Norte. Já era uma vontade nossa cada um ter sua própria loja, então a oportunidade veio a calhar para que mudássemos mais uma vez de Estado. Dessa forma, convidamos o irmão do Alessandro para operar o Divino Fogão Maceió, enquanto partíamos para mais um desafio. Com 12 anos de rede, somos sócios de seis restaurantes da marca localizados em Alagoas e no Estado potiguar”, revela Adriana.
iGUi — Do namoro para o casamento, de assalariados para empreendedores

Rafael César de Assis e Tamires Batista — agora, também de Assis — tinham diferenças de pensamento. Ele nutria a vontade de se tornar empreendedor e ela, mais “pé no chão”, era a favor de ter a estabilidade por meio de um emprego. Mas, isso mudou. Rafael era funcionário de uma das franquias da iGUi, em Sertãozinho (SP) e, em seguida, foi trabalhar em uma outra unidade da marca, em São José do Rio Preto (SP).
Porém, foi ao receber a proposta para ser supervisor de uma fábrica em Cedral, também no interior do estado, que a veia empreendedora começou a aflorar novamente. Tempos depois, veio a oportunidade de realizar o sonho: abrir uma unidade da rede na mineira Uberlândia, a 300 quilômetros de distância dali. Tamires não pensou duas vezes, largou o emprego e decidiu arriscar junto com Rafael. O negócio deu tão certo que, 10 anos depois, já casados e com uma filha pequena, já fizeram reformas para ampliar a loja e seguem o lema proposto por Tamires: “Fazer o que se ama e não precisar trabalhar nenhum dia”.

Maple Bear — Educação que une e incentiva o empreendedorismo

Casados há sete anos e juntos há 22, Natália e Patrick Fernandes conheceram a Maple Bear por meio de uma aluna de cinco anos que cursava línguas estrangeiras em uma pequena escola de idiomas aberta pela professora, em 2010. Interessados pela desenvoltura da estudante com o inglês, descobriram que a criança estudava em uma escola da Maple Bear, rede de ensino bilíngue com metodologia canadense. Foi a partir daí que surgiu a curiosidade de saber mais sobre o modelo de negócio da marca. Com iniciativa de Patrick, eles fizeram uma reunião com os representantes da Maple Bear para implantar uma escola na região da Mooca, zona leste de São Paulo. “Me lembro que após a nossa primeira reunião ganhamos um ursinho, que é o mascote da marca. Hoje quando olho para a pelúcia, lembro de toda a trajetória que percorremos até chegar aqui”, conta Natália. Na rede há nove anos, atualmente, o casal administra junto cinco operações da marca, todas localizadas na capital paulista.

Milon — Amor de colégio e de uma vida

A história de Ricardo e Kátia Fernandes com a Milon começou em 2000 como representantes comerciais da Kyly, maior empresa de vestuário infantil do Brasil. Há 47 anos juntos, eles se conheceram no colégio e, de lá para cá, seguiram lado a lado. Responsáveis por levar as peças de todas as marcas do Grupo Kyly para o Ceará, o casal, que já era apaixonado pelos produtos, se encantou com a proposta das lojas Milon, quando o projeto foi lançado em 2006. Assim que o negócio se tornou franquia, os Fernandes decidiram abrir a primeira operação da marca dentro dos moldes do franchising.
Dessa forma, em 2017, a rede estreou no mercado com a inauguração da loja localizada em Fortaleza, capital cearense. “Mesmo com a abertura do negócio físico, continuamos sendo representantes do Grupo Kyly no Estado. Em 2020, com a pandemia e o fechamento de todo o comércio, optamos por focar nossos esforços na operação que completava três anos naquela época. Após isso, continuamos expandindo e assumimos outra unidade situada na cidade. Não vamos parar por aí, já que está em nossos planos abrirmos juntos a terceira loja”, comenta Kátia, que além do sucesso no âmbito profissional junto com o marido, também comemora a família constituída durante os anos de matrimônio.
Oral Sin — Sócios até depois do “sim”

O casal Joyce Portilho Borges e Ricardo Labek viram na rede Oral Sin o gatilho que precisavam para se unir e seguir juntos no empreendedorismo e no amor. Joyce é dentista e era funcionária da rede odontológica, em 2017. Ricardo, então seu noivo, é engenheiro e farmacêutico. Com o passar dos anos, ele largou o emprego ao perceber os benefícios de empreender. O casal abraçou a oportunidade dada pela marca, em 2019, quando ela deixou de ser funcionária e eles se tornaram sócios da primeira unidade no setor Oeste em Goiânia.

Quem disse que a pandemia atrapalhou? Em 2020, o amor venceu. O sucesso do trabalho juntos deu tão certo que o casal resolveu dar um passo ainda maior: casaram e juntos abriram a segunda unidade em Aparecida de Goiânia. E no início de 2021, tornaram-se sócios também da unidade do setor Marista, na capital goiana.
Royal Face — Amor que transborda

Nada mais romântico do que a história do franqueado Elvis Lenon Medeiros. Assim como o refrão da música “Always on my mind”, do ícone do Pop Elvis Presley e “Stand by me”, de John Lennon, empreender e ficar juntos sempre esteve na mente dele e de sua esposa, Isabela Caroline Rocco, com quem é casado há dois anos. O casal sempre trabalhou em parceria e, segundo Isabela, poder dividir essa experiência com quem se ama é muito gratificante. “Nada mais love is in the air”, diz.

Resolveram empreender há dois anos, justamente quando casaram, com um uma clínica odontológica e viram uma oportunidade em harmonização facial. Abriram há um mês uma unidade da rede Royal Face na cidade de Mafra, em Santa Catarina, por acreditarem na marca e notarem a escassez deste mercado na cidade. “Nunca brigamos. Buscamos o melhor para nossa equipe e, por existir muito amor na liderança, tentamos transmitir esse sentimento às colaboradoras e aos clientes”, declarou a franqueada.

Print Friendly, PDF & Email

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*