Mauá, Política-ABC, Sua região

Sob orientação do governo, base derruba requerimentos de Chiquinho do Zaíra

Base derruba requerimentos de Chiquinho do Zaíra
Chiquinho do Zaíra: “o governo me vê como oposição”. Foto: Divulgação/CMM

Em ação articulada pelo governo de Mauá, a base de sustentação derrubou na sessão de ontem (20) todos os requerimentos dos vereadores Marcelo de Oliveira (PT) e Francisco Esmeraldo Carneiro, o Chiquinho do Zaíra (Avante). O movimento causou surpresa, uma vez que, oficialmente, Chiquinho é um vereador ‘independente’: nem base, nem oposição. Todos as solicitações questionavam a prefeitura sobre gastos e/ou contratos.

“Ficou claro que o governo me vê como oposição. Estou pedindo informações porque sou vereador. Estou cumprindo o meu papel”, afirmou o parlamentar. “Se a prefeitura não tem nada para esconder, é só responder, como determina a lei”, destacou. Chiquinho tem o nome especulado para ser candidato a deputado estadual, o que contraria interesses do governo, cujo pré-candidato ao cargo é o presidente da Câmara, Admir Jacomussi.

Oficialmente, o líder de governo na Casa, Fernando Rubinelli (PDT), negou que tenha havido uma ação orquestrada. “Cada vereador votou de acordo com o seu entendimento”, pontuou. Presente na sessão como tem sido comum desde o início do ano, o secretário de Governo, João Gaspar, corrobou a delaração de Fernando Rubinelli, mas apontou que situações assim são boas para “delimitar a posição de cada um”. “O Chiquinho é base ou oposição?”, questionou.

Os requerimentos de Chiquinho pediam informações sobre os valores gastos pelo município com a decoração natalina de 2017; a prestação de contas do evento “Festa dos Povos”, também de 2017; a forma de contratação dos funcionários da Fundação do ABC (FUABC); os serviços realizados para divulgação da promoção “IPTU Premiado” e esclarecimentos sobre os serviços do laboratório de análises clínicas. “Não tem problema. Vou apresentar de novo e continuar cumprindo minha função”, destacou o vereador.

Trabalho

Foi aprovado na sessão de ontem, na Câmara de Mauá, projeto de autoria do vereador Gil Miranda (PRB) que cria emenda na Lei Orgânica no município. A alteração visa adequar a LOM ao regimento interno da Casa, que já permitia que vereadores tenham outra ocupação além do mandato eletivo, desde que não haja incompatibilidade de horários entre as duas funções.

“Hoje em dia, o parlamentar não pode se limitar a ser somente vereador. Como o regimento interno e até a Constituição já permitiam, achei que seria bom fazer apenas esse ajuste”, justificou. O republicano afirmou que atualmente sua única ocupação é a vereança e que também não apresentou a lei a pedido de outro parlamentar.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*