Política-ABC, São Caetano do Sul, Sua região

Sem 2º turno, S.Caetano escolhe novo prefeito amanhã

Relação de prefeituráveis em São Caetano inclui Pinheiro, Auricchio, Sara Jane, Della Bella, Palacio, Gilberto Costa, Lucia Dal’Mas e Vadinho dos Esportes

Com 128.454 eleitores aptos a votar, São Caetano é uma das três cidades do ABC onde o nome do candidato que assumirá o comando da prefeitura a partir de 2017 será conhecido amanhã (2). Polarizam a disputa pelo posto – conforme recentes pesquisas de intenção de votos – o prefeito Paulo Pinheiro (PMDB), que busca a reeleição, e seu antecessor por dois mandatos, José Au­ricchio Junior (PSDB).

Adversários de longa da­­­ta, Pinheiro e Auricchio digladiam-se desde o início da gestão do peemedebista, devido à dívida de R$ 267 milhões deixada pelo governo anterior. O passivo é frequentemente usado pelo atual prefeito como justificativa para problemas na prestação de serviços e falta de investimentos na cidade. Auricchio, por sua vez, alega que o valor foi repassado como “restos a pagar” – despesas empenhadas e costumeiramente deixadas de um governo para o outro.

Em meio à queda de braço entre Pinheiro e Auricchio, candidatos como o vereador Fábio Palácio (PR) e a vice-prefeita Lúcia Dal’mas (PRTB) tentaram ao longo da campanha emplacar o posto de “terceira via” na cidade. Pesquisa Ibope divulgada na semana passada, porém, revelou que nem Palácio nem Dal’mas chegaram a emplacar seu nome junto ao eleitorado. Segundo o instituto, Auricchio continua na liderança, com 31% das intenções de voto, seguido por Pinheiro, com 24%. Embora encabecem a corrida pela prefeitura, Pinheiro e Auricchio também enfrentam altos índices de rejeição.

Na sequência apareciam Palacio com 14%, Gilberto Costa (PEN) com 9% e Dal’Mas e Vadinho dos Esportes (PV) empatados com 2% cada. Logo abaixo estão Márcio Della Bella (PT) com 1% e Sara Jane Zanetti (Rede), que não chegou a pontuar. A pesquisa está registrada sob o protocolo SP-05393/2016

Ataques 

Devido à impossibilidade de realização de segundo turno, São Caetano tem, historicamente, uma das eleições mais acirradas e agressivas da região. Além de jornais apócrifos com ataques mútuos, até acusações de “pacto com demônio” foram feitas entre candidatos durante a campanha deste ano. Nesta semana, o comitê de um candidato a vereador aliado de Pinheiro foi alvo de tiros, sem que o autor dos disparos e suas motivações fossem identificados. O período pré-eleitoral também teve direito a acusações de agressão entre membros de campanha de Pinheiro e Auricchio, com registros de Boletins de Ocorrência.

1 comentário

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*