Diadema, Minha Cidade, Sua região

Saúde de Diadema é premiada em programa do governo federal

Saúde de Diadema é premiada em programa do governo federal
Sartori: “queremos gastá-lo logo, para ver se fazemos jus a mais uma cota parte”. Foto: Thiago Benedetti/PMD

A Secretaria de Saúde de Diadema recebeu do Ministério da Saúde R$ 184 mil destinados a realização de cirurgias eletivas. O valor é uma premiação à cidade por atingir a meta de procedimentos em 2017. Dentre os 645 municípios do Estado, apenas 18 foram contemplados e Diadema foi o único do ABC.

“É um prêmio, uma vitória, tanto que o Ministério da Saúde não só reconhece, como nos dá recursos adicionais para continuarmos no projeto. Então, serão mais cirurgias de cataratas, mais cirurgias de vesícula, mais pequenas cirurgias que vamos poder fazer com esse recurso adicional”, afirmou o secretário de Saúde do município, Luiz Claudio Sartori. “Queremos gastá-lo logo, para ver se fazemos jus a mais uma cota parte”, completou o gestor.

Entre as cirurgias eletivas, procedimentos de média e alta complexidade, sem caráter de urgência, estão as de pele, tecido subcutâneo, oftalmológicas; de glândulas endócrinas; cirurgias do sistema nervoso central e periférico; das vias aéreas superiores, da face, cabeça e pescoço; oncológicas; do aparelho circulatório e digestivo; além das do aparelho osteomuscular. Esses procedimentos fazem parte da rotina dos atendimentos oferecidos à população nos hospitais de todo o país, de forma integral e gratuita, por meio do Sistema Único de Saúde.

Audiência

A Secretaria de Saúde de Diadema realizou, ontem (28), apresentação da audiência pública da pasta, com os dados financeiros do último quadrimestre de 2017. De acordo com os números, a cidade fechou o ano gastando 39,36% dos recursos próprios em ações de saúde, bem acima do limite mínimo de 15% estabelecido pela Constituição. No total foram gastos R$378,3 milhões.

“Diadema vem mantendo um patamar alto de gasto, uma manutenção histórica de dez anos para cá. No SUS (Sistema Único de Saúde) esse gasto dos recursos próprios é considerado louvável. Porém, nós, que estamos na gestão, sabemos o quanto isso nos preocupa e o quanto custa para manter nesse nível. Gastamos 40% com saúde, 25% é constitucional com a Educação, já somam 65% de um bolo de 100%. Sobra pouco para fazer as outras coisas”, ponderou o secretário de Saúde.

Sartori destacou que mesmo com a manutenção média dos gastos – dos quais 56% são com a folha de pessoal e encargos – a queda na arrecadação faz com que o porcentual de comprometimento da receita com a área aumente. “O gasto sobe na medida em que as receitas caem. Diadema é muito dependente do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços), a crise que é do Estado de São Paulo, do país, faz com que as pessoas comprem menos, vão ao cabeleireiro menos vezes, e esses impostos caem. Não é a nossa despesa que está subindo, é a nossa receita que está caindo”, frisou.

Febre amarela
A Campanha de Vacinação contra a Febre Amarela continua. Segundo o secretário de Saúde de Diadema, a cidade já imunizou 55% de toda a população e agentes têm feito a imunização nos domicílios das áreas consideradas mais críticas. A cidade tem um caso da doença confirmado. O munícipe se contaminou em Minas Gerais.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*