Minha Cidade, Regional, Sua região

Secretaria de Saúde de Diadema confirma primeiro caso de febre amarela

Saúde de Diadema confirma primeiro caso de febre amarela
Na região foram vacinadas, até 17 deste mês, 918.718 pessoas. Foto: Arquivo

A Secretaria de Saúde de Diadema confirmou o primeiro caso de febre amarela no município. Segundo a administração municipal, trata-se de contaminação ocorrida em outra cidade. Outros dois casos importados estão sendo investigados. O ABC já tem seis casos confirmados, sendo cinco importados (dois em Santo André, um em São Bernardo, um em Ribeirão Pires e um em Diadema) e um autóctone (quando a contaminação ocorre no município de residência) em São Bernardo. Duas pessoas morreram, uma em Santo André e outra em Ribeirão Pires.

São Caetano investiga seis casos, quatro de moradores de São Paulo e dois de munícipes da cidade. Santo André, que já confirmou dois casos, sendo que um evoluiu para óbito, aguarda resultado de outros cinco exames. Em São Bernardo, além dos dois que já foram confirmados, mais um segue em investigação. Ribeirão Pires já confirmou um caso, que também evoluiu para óbito; outros dois estão sendo investigados. Mauá e Rio Grande da Serra não têm registro de nenhum caso suspeito ou confirmado.

Campanha

Devido à baixa adesão da população, a Secretaria de Estado da Saúde determinou a prorrogação da campanha até o dia 2 de março. Todas as cidades do ABC, exceto São Caetano, aderiram à determinação. A cidade realiza novo dia D no sábado (dia 24), e as Unidades Básicas de Saúde (UBS) seguem imunizando até o fim do estoque. Na região foram vacinadas entre os dias 25 de janeiro e 17 deste mês 918.718 pessoas, o que corresponde a 39,3% da meta de 2.334.029 habitantes. Algumas prefeituras destacam que o porcentual pode ser maior, já que havia pessoas que se imunizaram antes da campanha.

Em Ribeirão Pires, a vacina também poderá ser tomada no sábado (dia 24) em qualquer uma das UBSs e até sexta-feira (23), no Terminal Rodoviário. Em Mauá, a Secretaria de Saúde está percorrendo os bairros para vacinação porta a porta, assim como São Bernardo, que também está ofertando a dose por meio de equipes que percorrem as residências. Na cidade também há a oferta de vacinas nas Unidades de Pronto Atendimento (UPA).

A orientação é para que idosos, portadores do vírus HIV, transplantados, hemofílicos ou pessoas com doenças do sangue e doença falciforme consultem um médico antes de tomar a vacina. A imunização não é indicada para grávidas que estão fora das áreas de risco, mulheres que estão amamentando crianças de até 6 meses, crianças menores de 9 meses e pacientes em tratamento quimioterápico ou radioterápico, alérgicos a ovo ou ainda para os que fazem uso de corticoides em doses elevadas.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*