Uncategorized

São Paulo tem segunda semana seguida de queda em óbitos por covid-19

Pela segunda semana consecutiva, o Estado de São Paulo registrou quedas nos números de óbitos e novas infecções pela covid-19. De acordo com a Secretaria Estadual da Saúde, foi re­gistrada uma diminuição de 9% no número de mortes pela doença na comparação com a semana anterior. De acordo com os dados apresentados na coletiva de imprensa desta segunda-feira (24) essa diminuição foi registrada em todas as regiões, no mesmo período.

“Essa queda nos conforta, porque estamos falando em vidas que estão sendo poupadas. Porém, repito o que já disse aqui: não é hora de celebrarmos nem comemorarmos nada”, afirmou o governador João Doria (PSDB).

Esta foi a primeira coletiva de imprensa com participação presencial do governador, após ele ter testado positivo para o coronavírus e passado 10 dias em isolamento social.

Ao todo, o Estado teve 152 mortes a menos em relação à semana anterior, registrando 1.612 óbitos entre 16 e 22 de agosto.
Na capital, houve diminuição ainda maior, de cerca de 19% das vítimas pela covid, com 96 óbitos a menos no mesmo período. Já no dado total entre o interior e o litoral, a queda foi de 4%, com 53 mortes a menos que a semana anterior.

Já sobre casos, houve queda de 32%, com redução de 3.440 infecções na média móvel durante a semana de 22 de agosto.
“Mesmo com o aumento do número de testes, tivemos redução nas médias”, reforçou João Gabbardo, coordenador executivo do centro de contingência da covid-19.

LEITOS

O índice de ocupação dos leitos manteve-se abaixo dos 60% pela terceira semana consecutiva, em todas as regiões.
O balanço desta segunda-feira mostra taxa de ocupação de leitos de UTI de 55,6% no Estado e de 53,7% na Grande São Paulo. Estão internados em leitos de UTI 5.039 pacientes e em enfermaria são 6.120 pessoas, entre casos confirmados e suspeitos.

Nas últimas 24 horas, foram registrados apenas 38 novos óbitos pela covid e 2.351 novas infecções, mantendo o padrão de números baixos das segundas feiras, quando há um atraso nos registros por causa dos finais de semana.
No total, no entanto, o Estado de São Paulo continua sendo o epicentro da doença e tem os maiores números absolutos do país, com 756.480 casos confirmados e 28.505 mortes.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*