Esportes, Paulistão

São Paulo passa fácil pelo Mirassol e faz final do Paulista com o Palmeiras

São Paulo passa fácil pelo Mirassol e faz final do Paulista com o Palmeiras
Arboleda comemora seu gol, o primeiro na goleada tricolor no Morumbi. Foto: Rubens Chiri/SPFC

O São Paulo não teve grandes problemas para vencer o Mirassol por 4 a 0, neste domingo (16) à noite, no Morumbi, e se classificar para a final do campeonato Paulista diante do Palmeiras. A Federação Paulista de Futebol (FPF) divulga nesta segunda-feira datas e horários dos dois jogos da decisão. Por ter melhor campanha, o time tricolor fará o segundo jogo em casa.

Ao contrário do que a Ferroviária fez na sexta-feira, quando esperou o São Paulo em seu campo, o Mirassol se posicionou fortemente no meio-campo e incomodou o goleiro Volpi desde o início da partida. Ainda fez marcação especial no meia Benítez, destaque no duelo das quartas de final e responsável direto pelos quatro gols marcados.

Com isso, o jogo ficou bem disputado nas duas intermediárias, com as defesas superando os ataques. Desta forma, a opção foram os chutes de longa distância. Cada time teve ao menos duas oportunidades, mas a pontaria não foi boa.

Com o tempo, a marcação do Mirassol ficou menos intensa e o São Paulo passou a ficar mais com a bola, quase 70% do tempo. Desta forma, as chances se tornaram mais comuns e mais perigosas a favor dos anfitriões. Daniel Borges chegou a tirar uma bola chutada por Reinaldo em cima da linha. Miranda e Liziero também quase marcaram.

Porém, o placar foi aberto só aos 44 minutos, após falha de Muralha. Após escanteio pela esquerda, o goleiro falhou na saída de bola e Arboleda, de ombro, tocou para o fundo do gol.

No segundo tempo, o São Paulo voltou com marcação mais forte e pressionou a saída de bola do Mirassol. Pablo, mal nos primeiros 45 minutos, quase se complicou ainda mais. Aos quatro minutos, o centroavante foi lançado, livre, diante de Muralha, chutou mal, mas a bola bateu em Daniel Boza e entrou: 2 a 0, São Paulo.

A partir daí, o time classificado para a final estava decidido, faltava saber a vantagem a ser conquistada. Aos 11 minutos, saiu o terceiro gol são-paulino, após nova cobrança de escanteio, feita por Benítez. Miranda desviou e Gabriel Sara, na linha do gol, tocou para dentro.

Com 3 a 0 no placar, o São Paulo perdeu o interesse no jogo e diminuiu o ritmo por ter tido de entrar em campo menos de 48 horas depois de vencer a Ferroviária e ainda ter de jogar de novo na terça-feira, pela Copa Libertadores, frente ao Racing – estará em jogo o primeiro lugar do grupo.

O Mirassol, desanimado, não teve forças para buscar a reação ou até mesmo um gol. Chegou até a ter mais espaço e oportunidade de finalizar, mas faltou capricho para exigir defesas de Volpi.

Em ritmo de treino, com a marcação do Mirassol frouxa, o São Paulo chegou ao quarto gol em jogada iniciada por Benítez, que lançou Igor Vinícius na direita. O cruzamento foi para Luciano, que bateu e teve a ajuda de Muralha, em nova falha.

O São Paulo garantiu a chance de quebrar um jejum de 16 anos sem o título estadual e vai enfrentar o Palmeiras, com quem já disputou oito vezes o título. Ganhou três vezes e foi superado em cinco oportunidades. A última decisão entre os dois times foi em 1992 e a taça ficou no Morumbi.

SÃO PAULO 4 X 0 MIRASSOL

Gols: Arboleda, aos 44 minutos do primeiro tempo. Pablo, aos 4; Gabriel Sara, aos 11, e Luciano, aos 29 do segundo tempo. Árbitro: Luiz Flavio de Oliveira. Estádio: Morumbi, em São Paulo.

SÃO PAULO

Tiago Volpi; Arboleda; Miranda e Léo; Igor Vinícius, Luan (William), Liziero (Rodrigo Nestor), Gabriel Sara (Igor Gomes), Benítez (Joao Rojas) e Reinaldo; Pablo (Luciano). Técnico: Hernán Crespo.

MIRASSOL

Alex Muralha; Daniel Borges, Reniê, Danilo Boza e Ernandes; Sousa (Daniel), Neto Moura, Cássio Gabriel (Raphael Macena) e Pedro Lucas (Eduardo); Diego Gonçalves e Fabrício (Lucas Silva). Técnico: Eduardo Baptista.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*