Esportes, Futebol, Sul-Americana

São Paulo empata e sofre terceira eliminação seguida

João Schimidt lamenta eliminação do São Paulo no Morumbi. Foto: Leo Pinheiro/Código 19/FolhapressO São Paulo teve 18 dias para consertar a defesa, que vinha mal, e turbinar o ataque, que estava entre os mais prolíficos do país. Ontem (11), provou que o período de folga não resultou nem em um nem em outro. Com um futebol pobre em todos os setores, o time empatou por 1 a 1 com o Defensa y Justicia-ARG, no Morumbi e amargou a terceira eliminação consecutiva nesta temporada.

Bastava vencer o desconhecido adversário para avançar à segunda fase da Copa Sul-Americana não repetir o que ocorrera na Copa do Brasil – quando caiu contra o Cruzeiro – e do Campeonato Paulista – contra o Corinthians. Na ida, em Lanús, havia obtido empate por 0 a 0 contra o rival.

Agora, com o moral atingido, o time tricolor só tem mais uma competição para disputar em 2017: o Brasileiro, que começa neste fim de semana. No domingo (14), reencontra o Cruzeiro pela estreia do campeonato nacional.

Ontem, a julgar pelo início da partida, a impressão era de que o São Paulo imporia goleada história. Com 28 segundos, Pratto chegou a marcar após passe de Cueva, mas gol foi anulado por impedimento – marcado corretamente.

O ritmo intenso logo gerou resultado. Aos cinco minutos, o volante Thiago Mendes dominou na entrada da área da equipe argentina e disparou chute cruzado fortíssimo, inapelável para o goleiro Arias, e pôs o mandante na frente.

A vantagem animou os torcedores são-paulinos, que enfim viam um bom futebol do time. A alegria pouco durou. Aos 10, o Defensa chegou ao empate com um arremate forte de Castellani.

A partir daí, enquanto o ataque se mostrava atabalhoado e sem criatividade – a única finalização correta foi a que rendeu o primeiro gol –, a defesa tricolor voltou a apresentar vulnerabilidade. O zagueiro Lucão, geralmente criticado pela torcida, voltou a ter má atuação.

Tão logo foi eliminado do Paulista, o técnico Rogério Ceni afirmou que tentaria aproveitar as quase três semanas de recesso para ajustar problemas defensivos de um time que sofreu 23 gols no Estadual, ou 1,4 por jogo.

Não surtiu efeito. Diante de uma zaga adversária insegura, os argentinos dominaram praticamente todo o restante da etapa inicial, e só não viraram o marcador graças à ótima intervenção de Renan no chute de Bouzat, nos acréscimos.

Na saída para o vestiário, a torcida não poupou vaias à equipe. Na volta do intervalo, o que se viu continuou pouco digno de aplauso. Nada funcionou e o São Paulo caminha para uma das temporadas mais vexatórias dos últimos anos.

Ceni elogia adversário e não vê vexame em queda no Morumbi

Mesmo com o São Paulo sendo eliminado da Copa Sul-Americana no Morumbi pelo modesto Defensa y Justicia, Rogério Ceni não vê um vexame. Após o empate por 1 a 1, o treinador minimizou a queda e ressaltou a qualidade do adversário.

“Não acho que seja um vexame, mas sempre temos a obrigação (de vencer). Seja Boca Juniors, Corinthians, Cruzeiro, sempre temos de vencer em nosso estádio. Hoje (ontem) perdemos a classificação. Longe de ser vexame, porque (o Defensa) é um time muito bem armado”, comentou Ro­gério Ceni.

 

SÃO PAULO 1 x 1 DEFENSA Y JUSTICIA

Gols: Thiago Mendes, aos 5, e Castel­lani, aos 10 minutos do 1º tempo. Árbitro: Ulises Mereles (PAR). Expulsão: Alexander Barboza. Estádio: do Morumbi, em São Paulo, ontem à noite.

SÃO PAULO

Renan Ribeiro; Bruno (Luiz Araújo), Rodrigo Caio, Lucão e Júnior Tavares; Jucilei, João Schmidt e Thiago Mendes; Cueva (Thomaz), Lucas Pratto e Neilton (Gilberto). Técnico: Rogério Ceni.

DEFENSA Y JUSTICIA

Arias; Bareiro, Cardona e Alexander Barboza; Rivero, Castellani (Elizari), Delgado, Leonel Miranda e Jonás Gutiérrez; Bouzat (Ka­prof) e Ríos (Fredes). Técnico: Sebastián Beccacece.

 

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*