Brasileirão, Esportes

São Paulo empata com o Vasco no Morumbi e perde chance de se igualar aos líderes

São Paulo empata com o Vasco e perde chance de se igualar aos líderes
Luciano comemora com Daniel Alves o gol de empate do São Paulo no Morumbi. Foto: Miguel Schincariol/SPFC

O São Paulo desperdiçou a chance de se igualar aos líderes do Brasileirão ao empatar por 1 a 1 com o Vasco neste domingo (22), no Morumbi, em duelo da 22ª rodada. Depois de ver o argentino Cano abrir o placar para os cariocas, o Tricolor teve muita dificuldade para criar e só conseguiu marcar com Luciano após erro da zaga adversária. Os dois gols saíram no primeiro tempo.

Com o resultado, o São Paulo chegou aos 37 pontos, a dois do Atlético-MG, líder pelos critérios de desempate. A equipe do técnico Fernando Diniz, que vinha de seis vitórias seguidas na temporada, ainda tem três jogos a menos, e, portanto, haverá mais oportunidades para assumir a ponta do campeonato.

O empate na Capital paulista foi suficiente para tirar o Vasco da degola. A equipe cruzmaltina é a primeira fora do grupo do descenso, com 24 pontos, e terá de torcer contra o Atlético-GO no duelo diante do Sport, nesta segunda-feira, para não voltar ao Z4.

O São Paulo volta a campo na próxima quarta-feira, às 19h15, para enfrentar o Ceará no Castelão, em jogo atrasado da 16ª rodada do Brasileirão. Depois, encara o Bahia no sábado, às 18h, na Fonte Nova. O Vasco recebe o Ceará no dia 30, às 18h, em São Januário.

Nos primeiros 45 minutos, o São Paulo foi dominante, mas não conseguiu pressionar o Vasco como se esperava em função da forte marcação rival, que dificultou a criação dos meio-campistas são-paulinos. Sem conseguir penetrar, o Tricolor levou perigo em falta cobrada por Gabriel Sara e defendida por Lucão, que substituiu Fernando Miguel, diagnosticado com covid-19.

Bem posicionado, o Vasco se armou para o contra-ataques e foi por meio de um deles que abriu o marcador. Em posição legal, Cano foi lançado em velocidade na direita, invadiu a área e bateu cruzado, sem chances para Tiago Volpi, aos 18 minutos.

Se estava difícil criar, os anfitriões contaram com um erro da zaga adversária para chegar ao empate. Aos 33 minutos, Jadson se atrapalhou ao tentar dar um chutão dentro da área e a bola sobrou para Luciano. O atacante bateu colocado, no canto direito, para vencer Lucão e chegar à marca de nove gols no campeonato. São cinco nos últimos três jogos na temporada e 12 em 2020.

No final da primeira etapa, Brenner teve oportunidade para colocar o São Paulo em vantagem, mas parou no goleiro rival. Antes de levar o empate, a equipe cruzmaltina teve duas boas chances de ampliar com Torres e Vinícius, mas não as aproveitou.

Na etapa complementar, o cenário foi muito semelhante, com o São Paulo com muita dificuldade para passar pelo bem armado bloqueio defensivo vascaíno. A equipe de Fernando Diniz teve grande volume de jogo. Porém, sem penetração, criatividade e dribles, levou pouco perigo ao gol do adversário e abusou das bolas levantadas à área. Foi um domínio inócuo, com quase 70% de posse de bola, mas sem inspiração e eficiência.

O Vasco cansou a partir da metade do segundo tempo. Todo o esforço na marcação, na correria sem a bola, cobrou seu preço. Mesmo assim, o time de Sá Pinto se defendeu bem, mas não conseguiu encaixar um bom contragolpe para sair de campo vitorioso.

No final, a partida se transformou em um jogo de ataque contra a defesa. O São Paulo se lançou, desorganizado, ao ataque, e o Vasco, exausto, se defendeu como pode. O competente ferrolho prevaleceu e não houve mais gols no Morumbi.

 

SÃO PAULO 1 X 1 VASCO

Gols: Cano, aos 18, e Luciano, aos 33 minutos do primeiro tempo. Árbitro: Bráulio da Silva Machado (Fifa/SC). Estádio: Morumbi, em São Paulo (SP).

SÃO PAULO

Tiago Volpi; Juanfran (Tchê Tchê), Bruno Alves, Léo (Hernandes) e Reinaldo; Luan (Vitor Bueno), Daniel Alves, Gabriel Sara e Igor Gomes (Pablo); Luciano e Brenner (Trellez). Técnico: Fernando Diniz.

VASCO

Lucão; Miranda, Jadson e Ricardo Graça; Yago Pikachu, Marcos Junior, Léo Gil (Andrey) e Henrique (Neto Borges); Vinícius (Lucas Santos), Gustavo Torres (Juninho) e Cano (Ygor Catatau). Técnico: Ricardo Sá Pinto.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*