Brasileirão, Esportes

São Paulo acorda no 2º tempo, vence o Athletico-PR e pula para o 3º lugar

São Paulo acorda no 2º tempo, vence o Athletico-PR e pula para o 3º lugar
Luciano completa cobrança de escanteio para as redes e anota o único gol do São Paulo no Morumbi. Foto: Rubens Chiri/SPFC

O São Paulo fez um primeiro tempo ruim, mas cresceu na etapa final e conseguiu superar o Athletico-PR por 1 a 0 na noite desta quarta-feira (26), no Morumbi, em duelo adiantado da 11ª primeira rodada do Campeonato Brasileiro. O triunfo foi assegurado com gol de Luciano, em lance de oportunismo do atacante. O Tricolor foi mais eficiente do que o rival paranaense, que dominou a primeira etapa, mas não balançou as redes.

Mesmo muito criticado principalmente pelas atuações ruins recentes, o São Paulo chegou ao terceiro jogo sem perder, sendo duas vitórias seguidas, e subiu para a terceira posição, com 10 pontos em cinco jogos. O Athletico-PR amargou o quarto revés seguido e parou nos seis pontos, posicionado na décima colocação.

O resultado positivo em casa eleva o moral do São Paulo às vésperas do clássico contra o Corinthians, marcado para o próximo domingo, às 11h, no Morumbi, pela sexta rodada do Campeonato Brasileiro, e alivia um pouco mais a pressão sobre Fernando Diniz. O Athletico-PR folga no fim de semana, já que a partida contra o Atlético-MG foi adiada porque o adversário disputa no domingo o segundo jogo da final do Campeonato Mineiro contra o Tombense.

Diniz decidiu repetir a escalação do triunfo sobre o Sport, na rodada passada, e mais uma vez o São Paulo não jogou bem na primeira etapa, na qual o Athletico-PR foi superior e teve as melhores chances para abrir o placar.

No lance de mais perigo, Léo Cittadini finalizou com força, cruzado, e obrigou Tiago Volpi a fazer defesa difícil. O goleiro também apareceu para evitar o gol em bela jogada trabalhada dos visitantes pouco tempo depois. Geuvânio dribou o arqueiro, mas mandou por cima.

Os donos da casa, por sua vez, encontraram muita dificuldade na criação das jogadas e abusaram dos toques de lado ou para trás, sem objetividade e profundidade. Lento, o Tricolor ameaçou pouco o rival e, sem conseguir envolver o adversário, só chegou ao ataque em arremates de fora da área. Daniel Alves, sempre muito acionado, tentou, mas chutou em cima da zaga. Tchê Tchê concluiu por cima do gol.

O panorama se inverteu na etapa final. Com as entradas de Hernanes e Paulinho Bóia, a equipe de Fernando Diniz ficou mais criativa e veloz, cresceu e passou a dominar a partida. A dupla que entrou no intervalo se mostrou ativa e participou dos principais lances de perigo no começo do segundo tempo. Aos dez minutos, Bóia arrancou em velocidade e achou Luciano dentro da área, deixando o companheiro em condições de marcar. O atacante puxou para a canhota e tentou encobrir o goleiro, mas demorou muito e a zaga afastou.

Na sequência, Luciano apareceu novamente. O atacante recebeu cruzamento de Daniel Alves na primeira trave, desviou de cabeça e só não viu a bola entrar porque Santos estava bem colocado e fez a defesa. Depois de dar assistência, o camisa 10 decidiu resolver sozinho e quase marcou em conclusão da intermediária. A bola foi desviada pela zaga e saiu pela linha de fundo.

Na cobrança do escanteio, a retaguarda resvalou na primeira trave e a bola ficou limpa para Luciano, sozinho, completar de cabeça e abrir o marcador aos 19 minutos. O jogador tem se mostrado decisivo desde que chegou do Grêmio em troca envolvendo Everton. Soma dois gols e uma assistência em três jogos.

O ritmo dos anfitriões diminuiu depois do gol, especialmente após a saída de Daniel Alves, que deixou o campo machucado. Ainda assim, o Tricolor pouco sofreu e não teve trabalho para sustentar a vantagem em razão da apatia do rival paranaense, que não conseguiu se encontrar nos últimos 45 minutos. Até fez pressão final, mas na base das bolas longas, e que acabou não dando efeito.

SÃO PAULO 1 x 0 ATHLETICO-PR

Gol: Luciano, aos 19 minutos do segundo tempo. Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (RJ). Estádio: Morumbi, em São Paulo (SP).

SÃO PAULO

Tiago Volpi; Igor Vinicius, Diego, Léo e Reinaldo; Tchê Tchê (Liziero), Daniel Alves (Luan) e Gabriel Sara (Hernanes); Luciano (Igor Gomes), Vitor Bueno (Paulinho Bóia) e Pablo. Técnico: Fernando Diniz.

ATHLETICO-PR

Santos; Khellven, Lucas Halter, Pedro Henrique e Abner; Wellington, Richard (Fernando Canesin) e Léo Cittadini (Lucho González); Geuvânio (Christian), Bissoli (Vinicius Mingotti) e Pedrinho (Jajá). Técnico: Dorival Júnior.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*