Esportes, Outros Esportes

São Caetano terá cinco paratletas e um técnico nas Paralimpíadas

São Caetano terá cinco paratletas e um técnico nas Paralimpíadas
Raissa conquistou sua vaga no lançamento de dardo por ranqueamento mundial. Foto: Eric Romero/PMSCS

São Caetano terá cinco paratletas e um técnico na delegação brasileira que vai disputar a Paralimpíada de Tóquio e que será composta de 431 pessoas, entre eles 253 atletas representando o país em 20 modalidades. Os Jogos ocorrem de 24 de agosto a 5 de setembro.

Raissa Rocha Machado (lançamento de dardo), João Vitor Teixeira (lançamento de disco), Marivana da Nóbrega (arremesso do peso) e Júlio César dos Santos (1.500 metros), no atletismo; e Bruna Alexandre, no tênis de mesa, são os paratletas que representarão São Caetano nos Jogos. João Paulo Alves da Cunha será técnico do atletismo.

João Victor, Júlio César, Raissa e Marivana representam as cores de São Caetano desde 2018, mas se prepararam no Centro de Treinamento do Comitê Paralímpico Brasileiro, na Rodovia dos Imigrantes, na Capital.

O paulista Júlio César e o carioca João Victor conquistaram suas vagas ainda em 2019, ao ganharem a medalha de ouro no Campeonato Mundial de Paratletismo, em Dubai – o primeiro critério de vaga é a medalha de ouro no Mundial anterior aos Jogos.

A baiana Raissa e a alagoana Marivana conquistaram suas vagas por ranqueamento mundial. Raissa é a segunda melhor do mundo em lançamento de dardo e Marivana é a terceira em arremesso de peso.

A catarinense de Criciúma Bruna da Costa Alexandre amputou o braço direito devido a uma trombose aos seis meses de vida, mas aos 12 anos já praticava tênis de mesa, influenciada pelo irmão, Bruno. Até 2009, competia em torneios com atletas sem deficiência. Hoje, a paratleta acumula conquistas como o bronze individual e por equipes no Mundial da China, em 2014.

Nos Jogos Paralímpicos do Rio-2016 entrou para a história do tênis de mesa ao se tornar a primeira paratleta do país a conquistar uma medalha individual, com o bronze na classe 10. Ainda no Rio de Janeiro, ajudou o Brasil a ficar com o bronze por equipes nas classes 6-10, ao lado de Danielle Rauen e Jennyfer Parinos. Bruna é top 5 no ranking mundial da classe 10.

Bruna treina pela manhã em São Caetano, com suporte do técnico Francisco Arado (seleção masculina olímpica), à tarde no Centro de Treinamento Paralímpico da Capital com a seleção brasileira permanente, sob comando dos técnicos Paulo Molitor e Rafael Moreira.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*