Política-ABC, São Caetano do Sul, Sua região

‘São Caetano segue sem planejamento e isso é muito grave e preocupante’, afirma Fabio Palacio

Palacio diz que confia na Justiça e está preparado para novas eleições, apoiado por um grupo “cada vez mais forte”. Foto: Divulgação
Palacio diz que confia na Justiça e está preparado para novas eleições, apoiado por um grupo “cada vez mais forte”. Foto: Divulgação

O ex-prefeiturável Fabio Palacio (PSD), enquanto aguarda desfecho do imbróglio que envolve o resultado das eleições de 2020 em São Caetano, segue com articulações junto a lideranças políticas. O ex-prefeito José Auricchio Júnior (PSDB) venceu o pleito, mas foi condenado em duas instâncias com base na Lei da Ficha Limpa. Assim, a validação de seus votos está condicionada ao even­tual deferimento em ins­tâncias superiores. Até que haja decisão, o presidente da Câmara, Tite Campanella (Cidadania), está à frente do Paço. Ao Diário Regional, Palacio afirmou que a situação impacta negativamente a cidade, que está parada.

Acredita ainda na possibilidade de novo pleito?

Isso está nas mãos do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) e vamos aguardar o que os ministros vão decidir. Estou preparado para novas eleições e o nosso grupo está cada vez mais forte. Da minha parte sempre vou defender e respei_tar as leis e a democracia. Minha vida pública sempre foi pautada nesses princípios e sempre será. Confio na Justiça, na democracia e tenho certeza que em breve vamos ter a situação resolvida e a vontade do povo deve prevalecer.

Como analisa a situação de Auricchio, que continua aguardando definição de ins­tâncias superiores?

O que ele fez com a cidade foi uma vergonha. Ele fraudou a vontade popular, enganou a população contando uma grande mentira. Agora estamos todos tendo de arcar com a irresponsabilidade dele, que é condenado em 2ª Instância por captação ilegal de recursos em sua campanha eleitoral de 2016 e sabia que isso ia acontecer, mas por interesse próprio e por ambição levou adiante algo que o resultado seria exatamente esse e a população não pode escolher o seu prefeito.

O quanto essa indefinição está impactando na cidade?

Está impactando bastante e, infelizmente, de maneira negativa. Não temos um prefeito legítimo eleito e um vereador está há sete meses respondendo interinamente pelo governo. Na verdade, esse vereador foi indicado pelo Auricchio, que de certa forma continua por trás da adminis­tração da cidade. Quem sofre as consequências de tudo isso é o povo de São Caetano. A cidade está há sete meses parada, sem planejar seu futuro.

O sr. tem conversado com partidos políticos e cooptado novos apoiadores. Como estão essas conversas?

Sim, muitos partidos e também muitas figuras políticas importantes da cidade. Hoje temos 13 partidos na nossa base de apoio, são eles PSD, PTB, Progressistas, Democratas, Republicanos, Patriotas, Rede Sustentabilidade, Solidariedade, PDT, MDB, PV, PRTB e PSC. A Rede Sustentabilidade e PRTB que tiveram candidatos na eleição passada já anunciaram apoio ao nosso projeto na próxima eleição. Ex-candidatos a vereador do Partido Novo, Avante e Podemos também estão conosco. Essas conversas estão cada vez mais intensas.

Em caso de novas eleições acredita que outros nomes devam aparecer no cenário?

Sim e isso é natural.

Como analisa a gestão de Tite Campanella nos seguintes setores: administração, pandemia e desenvolvimento?

É uma gestão fraca, que não planeja o futuro da cidade. No pico da segunda onda de covid o Hospital de Campanha estava fechado. Quinze pessoas morreram esperando leito de UTI e o prefeito interino queria a flexibilização do Plano São Paulo, e isso só não aconteceu porque a Justiça não permitiu. A vacinação na cidade está uma bagunça. Estamos quase dez anos atrasados com relação a todas as cidades do ABC e ao calendário de vacinação do Governo do Estado.

O sistema de agendamento não funciona, fora todas as denúncias que escutamos de pessoas que furam a fila aqui. Uma completa desorganização. A retomada das consultas e cirurgias eletivas está muito lenta e seletiva. As pessoas estão com muitas dificuldades para marcar consultas com especialistas e agendar exames.

Na parte de desenvolvi­mento econômico também nada está sendo feito. Não foi criado nenhum incentivo, nenhuma linha de crédito, nenhum programa para ajudar comerciantes, prestadores de serviços e empresários em geral. Não houve flexibilização da Lei Cidade Limpa para ajudar os co­merciantes, não há um programa de qualificação profissional e nem de geração de emprego e renda. Não está sendo planejada a retomada da economia em nenhuma área.

Do ponto de vista administrativo está tocando o que já estava em andamento. Manteve os secretários do Auricchio. A única que ele tentou trocar, que foi a secretária de Esportes, mas teve que voltar atrás e nomear uma pessoa de confiança do ex-prefeito. Assim ele está seguindo e a cidade segue sem planejamento. Isso é muito grave e preocupante.

O sr. teve revés com seu vice nas últimas eleições. Acredita que isso impactou em sua figura política?

O Saul (Klein) se desfiliou do PSD assim que veio a público todo o escândalo envolvendo seu nome e não estará na sequência do nosso projeto. As denúncias são muito sérias e eu não compactuo com o que ele está sendo acusado. Nunca tive conhecimento de absolutamente nada relacionado a isso e fiquei chocado quando veio a público. Toda a cidade conhece muito bem minha vida pessoal e profissional, e estou muito tranquilo com relação a minha imagem. Tenho duas filhas mulheres e jamais aceitaria isso.

Em caso de assumir o Paço, quais serão as prioridades?

Nosso time está muito preparado. Vamos priorizar a retomada da economia, trabalhando principalmente na geração de emprego e renda, e teremos também um trabalho muito pesado e intenso com relação a assistência social da cidade, nos programas de auxílio social, justamente para ajudar as pessoas que perderam seus empregos e tem mais dificuldade de tocar suas famílias. Daremos uma atenção especial também para as áreas da educação e saúde, uma vez que temos que agilizar as consultas e exames eletivos.

Os alunos estão há mais de um ano afastados, então vamos priorizar o reforço escolar. Buscaremos parcerias com municípios da região metropolitana e governo do Estado para melhorar o trânsito, combater enchentes e termos uma gestão mais racional. Vamos voltar a planejar o futuro de São Caetano.

um comentário

  1. Roberto Amancio Cruz

    O planejamento ajuda a tirar o máximo proveito dos orçamentos municipais, informando os investimentos em infraestrutura e serviços, equilibrando as demandas de crescimento com as urgentes necessidades ambientais, sem isso estamos perdendo nossos caros impostos !

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*