Minha Cidade, São Caetano do Sul, Sua região

São Caetano realiza mais de 3,8 mil testes em instituições de longa permanência

Sra Luiza Penado Campoi, 103 anos, uma das pacientes recuperadas e residente do Lar Nossa Senhora das Mercedes. Foto: Divulgação/PMSCS
Sra Luiza Penado Campoi, 103 anos, uma das pacientes recuperadas e residente do Lar Nossa Senhora das Mercedes. Foto: Divulgação/PMSCS

A Secretaria de Saúde da Prefeitura de São Caetano realizou mais de 3,8 mil testes tipo PCR em instituições de longa permanência (asilos). Os testes foram realizados em todas as instituições, tanto privadas quanto filantrópicas. Com cerca de 23% da população idosa, a cidade com um dos maiores índices de longevidade do Brasil poderia ter um cenário bem diferente diante da pandemia que chegou ao País no início do ano.

O olhar atento aos idosos norteou o trabalho de prevenção e isolamento já no início de março, quando as visitas externas foram proibidas nas instituições de longa permanência. “Começamos a adotar os protocolos sanitários e de higiene de profissionais e ambientes, e pedimos isolamento de pessoas com sintomas gripais”, explicou a secretária de saúde, Regina Maura Zetone.

São Caetano conta com 18 instituições, sendo cinco filantrópicas e as demais privadas. No dia 15 de abril foi realizada a primeira sondagem nos asilos testando todos os 690 funcionários e residentes. Os testes foram realizados semanalmente na fase inicial do programa. “Acompanhando dados da pandemia e os óbitos na Europa percebemos que o avanço da contaminação em lares de idosos poderia ser catastrófico. Por isso, decidimos por acompanhar de perto todos os residentes e funcionários testando e retestando quantas vezes fossem necessárias”, complementou Regina Maura.

Em 14 locais (77,8%) houve surto de contaminação atingindo 93 residentes (4,2%) e 38 funcionários (2,4%). “Mais de 45% dos idosos que testaram positivo foram internados e 15% dos funcionários que estavam assintomáticos permaneceram em isolamento domiciliar.”

A taxa de letalidade, que chegou a 26%, com 24 óbitos de residentes, poderia ter sido bem maior. “Poderíamos ter tido óbitos em série nestes locais, já que praticamente todos os idosos que residem nestas instituições possuem além da idade avançada, o agravo de comorbidades. Dos idosos que conduzimos aos nossos hospitais, nenhum veio a óbito. Tivemos, inclusive, casos de pessoas com mais de 95 anos e uma senhora de 103 anos que receberam alta”, afirmou Regina Maura.

Com cerca de 23% da população formada por idosos, o município adotou a estratégia de testagem para essa faixa etária, sendo o primeiro do Brasil a fazer testes em massa em idosos. No início de junho começou a testar pessoas com idade entre 60 e 65 anos, em seguida ampliou para até 70 anos e, atualmente está testando moradores a partir de 50 anos. Para realizar o teste o morador deve agendar data e horário no site coronavirus.saocaetanodosul.sp.gov.br clicando no link agendamento testagem.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*