Minha Cidade, São Bernardo do Campo, Sua região

São Bernardo terá primeira radioterapia pública do ABC

Morando e Reple conversam no espaço que vai abrigar o “bunker” de concreto. Foto: Gabriel Inamine/PMSBCSão Bernardo terá a primeira unidade de radioterapia pública do ABC. Fruto de parceria com o governo federal, o equipamento será construído no Hospital Anchieta, no Centro, e deve ser entregue no final de 2019.

O anúncio foi feito ontem (28) pelo prefeito Orlando Morando (PSDB), durante evento realizado no complexo hospitalar municipal. A cidade foi contemplada no Plano de Expansão dos Serviços de Radioterapia do Sistema Único de Saúde (SUS), implementado em 2014 pelo Ministério da Saúde, que prevê a instalação de 100 aparelhos em todo o país. Na região, além de São Bernardo, também receberá o equipamento o Hospital Estadual Mário Co­­vas, em Santo André.

O investimento federal é de R$ 10 milhões. À prefeitura caberá o aporte de R$ 250 mil, que serão utilizados para adequar a área onde será instalado a unidade de radioterapia.

Nesse espaço de 2 mil metros quadrados funcionam hoje estacionamento, anfiteatro e salas administrativas, que serão demolidos. A preparação da área deve durar até dezembro, quando terá início a construção do “bunker”, como é chamado o abrigo do acelerador linear, equipamento que emite a radiação usada no tratamento do câncer.

O bunker possui paredes de 1,5 metro de espessura feitas de concreto puro, as quais impedem o vazamento de radiação para o ambiente. A expectativa de conclusão das obras é de 24 meses.

“Nosso objetivo é transformar o Hospital Anchieta em referência no tratamento oncológico. Nossos procedimentos estão mais adiantados do que os do Mário Co­vas, que também receberá uma unidade”, disse Morando, ao destacar que o equipamento trará redução de custos para a administração.

Segundo o chefe do Executivo, atualmente, o município encaminha os pacientes com prescrição de radioterapia pa­ra uma empresa privada, localizada nos arredores do Hospital Anchieta. Com a mudança, a prefeitura projeta economizar aproximadamente R$ 245 mil mensais, ou R$ 3 milhões por ano.

Sem fechamento

O secretário municipal de Saúde, Geraldo Reple, enfatizou durante o evento que o Hospital Anchieta não será fechado durante a obra. As demandas de cirurgias serão atendidas no Hospital de Clínicas, no bairro Assunção, enquanto os atendimentos de oncologia e especialidades serão mantidos no local.

Reple destacou que os munícipes terão prioridade no atendimento, mas a unidade receberá pacientes de fora de São Bernardo. “O equipamento vai atender moradores de outras cidades, até porque vem do Ministério da Saúde”, disse.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*