Minha Cidade, São Bernardo do Campo, Sua região

São Bernardo reaproveita 3,8 toneladas de alimentos em janeiro

Ao todo, 2.789 famílias carentes foram contempladas com os produtos reaproveitados. Foto: Gabriel Inamime/PMSBCDesde o início do ano, o Banco de Alimentos da Prefeitura de São Bernardo, gerido pela Secretaria de Desenvolvimento Social e Cidadania (Sedesc), deu nova destinação a 3,8 toneladas de alimentos que seriam descartados, apesar da boa condição para consumo. Ao todo, 2.789 famílias carentes foram contempladas com os produtos reaproveitados.

O volume é mais que o dobro da quantidade selecionada em janeiro do ano passado, quando foi repassada 1,2 tonelada para moradores em situação de risco social. “Esse aumento é fruto da ampliação do diálogo com as empresas, que, na maioria dos casos, possuem esses alimentos para doação. Queremos incentivar essa participação, porque temos que estar atentos à questão da fome aqui em São Bernardo”, destacou o secretário de Desenvolvimento Social e Cidadania, Mauricio Soares.

O titular da pasta explicou ainda que o total mensal foi reforçado com carregamento de 2,4 toneladas de tomate recebido no final do mês, proveniente da Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (Ceagesp). O lote foi encaminhado por meio de um convênio para intercâmbio e compartilhamento de alimentos entre cinco cidades da região metropolitana de São Paulo (Capital, Guarulhos, São Bernardo, Mauá e Embu das Artes).

“O convênio não é só para recebimento, mas para doação entre as cidades que aderiram ao programa. É um compartilhamento de mercadorias, cujo objetivo é repassar essa comida que seria descartada para famílias que precisam e evitar o desperdício”, enfatizou a coordenadora do Banco de Alimentos de São Bernardo, Maria Alice Pina Guimarães Mucida.

O Banco de Alimentos também mantém parceria para reaproveitamento de mercadorias da rede de mercados Cooperativa de Consumo (Coop), do hipermercado Carrefour e da fabricante de pães, Wickbold.

Após o recebimento, os lotes coletados passam por um rigoroso processo de refrigeração, seleção, reembalo e etiquetação, por parte da equipe do Banco de Alimentos. Ao final do processo, cestas de alimentos são montadas e distribuídas, preferencialmente, entre famílias em situação de risco inscritas em programas sociais, como o Centro de Referência de Assistência Social (Cras) e Centro Especializado de Assistência Social (Creas).

“São alimentos que a população teoricamente não vai comprar, ou seja, um maço de verduras com uma folha mais feia, uma frutas batida, mas que é totalmente consumível. Não mandamos nenhum produto fora da data de validade”, destacou Maria Alice. O programa contempla também entidades assistenciais credenciadas e cadastradas na Sedec.

Interessados em realizar doações podem entrar em contato com o Banco de Alimentos pelo telefone: (11) 2630-6704.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*