Esportes, Futebol, Paulistão

São Bernardo e Santo André encaram Paulistão ‘relâmpago’

O campeonato estadual mais disputado do país está mais enxuto. A primeira fase do Paulistão deste ano, que começa hoje (3), terá apenas 12 rodadas, três a menos do que na edição do ano passado. Para metade dos 16 clubes, o sonho de jogar a elite vai acabar em 29 de mar­ço, 53 dias após o início da competição.

É a primeira vez em 14 anos que o Estadual será disputado por menos de 20 equipes. Pior para São Bernardo e Santo André, que vão representar o futebol do ABC no Paulistão deste ano. Menos jogos significam menor exposição midiática, mais equi­líbrio e mais riscos. Qualquer tropeço pode ser fatal.

Menos mal que o número de rebaixados caiu de seis, no ano passado, para dois na edição deste ano. Além disso, a Federação Paulista de Futebol (FPF) retomou o Troféu do Interior, que será disputado pelas equipes que se classificarem entre o nono e o 14º lugares – o vencedor ganhará uma vaga na Copa do Brasil. Reivindicação dos clubes pequenos, o torneio visa manter os times mais tempo em atividade.

A redução no número de rodadas na fase de classificação permitiu a extensão dos mata-matas  – que, neste ano, serão disputados em jogos de ida e volta já a partir das quartas de final.

O regulamento é, basicamente, o mesmo do ano passado, mas o número de times por grupo caiu de cinco para quatro. Não há enfrentamento dentro das chaves na primeira fase, e os dois primeiros de cada grupo avançam.

Com a mudança do calendário da Copa Libertadores, que terminará só no final de novembro, a tendência é de que os clubes grandes dêem mais atenção ao Estadual. Até o ano passado, o início das fases decisivas do torneio continental coincidia com os mata-matas do Estadual.

São Bernardo e Santo André tentam repetir o feito do Audax, vice-campeão no ano passado. Para o Tigre, a temporada promete ser especial: pela primeira vez em sua história, o time vai disputar a Série D do Campeonato Brasileiro. Sob o comando do técnico português Sérgio Vieira, a equipe espera chegar novamente aos mata-matas. Para isso, montou elenco que tem como destaques o zagueiro Maidana, cedido pelo São Paulo, e os atacantes Walterson, de volta após empréstimo ao Santos, e Edno, ex-Corinthians.

De volta à elite após cinco anos na A2, o Ramalhão traçou como principal objetivo evitar o descenso, mas montou equipe competitiva – o meia Eduardo Ramos (ex-Corinthians), o volante Baraka e o atacante Edmilson (ex-Palmeiras) são os destaques.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*