Esportes, Futebol

Santos ‘paquera’ Caixa para fechar retorno da atacante Marta ao clube

Marta recebe cerca de R$ 200 mil na Suécia. Foto: ArquivoO retorno da meia-atacante Marta ao Santos esquentou no último fim de semana, quando a atleta esteve na Vila Belmiro para acompanhar a partida das Sereias da Vila contra o Vitória. A jogadora se reuniu com o presidente Modesto Roma e reiniciou as negociações para o seu retorno ao clube paulista.

O Santos continua em busca de parceiros para fechar o negócio, e a Caixa Econômica Federal é a “bola da vez” na Vila. A diretoria tenta convencer a estatal de ajudar no pagamento dos salários de Marta.

O salário da Marta está estipulado em pouco mais de R$ 200 mil mensais, o teto salarial do elenco masculino profissional. O clube sonha em contar com a atleta para a possível disputa da Copa Libertadores feminina. Caso o clube conquiste o Campeonato Brasileiro deste ano, a ideia é ajudar na organização da competição continental, como ocorreu no final da década passada.

Marta atua no Rosengard, da Suécia, mas está inclinada a retornar ao Santos. Outro ponto que pesa a favor é sua amizade com o presidente Mo­desto Roma.

Além da Caixa, o Santos conversa com outros parceiros para tentar convencer Marta a voltar ao clube.

Os parceiros são antigos conhecidos do departamento de futebol feminino do Santos – a Fundação Pró-Esportes de Santos (Fupes) e a Copagaz, distribuidora de gás. Os dois já foram parceiros do clube no período em que Marta e companhia conquistaram a Copa Libertadores da América da categoria.

Marta é considera no projeto santista a “cereja do bolo”. A ideia é fazer do clube uma referência no futebol feminino do Brasil e, para isso, a diretoria santista acredita que é essencial a contratação da meia-atacante, que defendeu o clube entre 2009 e 2010 e voltou para rápida passagem em 2011.

O nome de Marta é forte na categoria mundialmente. A ex-camisa 10 do Santos foi eleita a melhor jogadora do mundo por cinco anos consecutivos ­ entre 2006 e 2010.

No ano passado, o presidente Modesto Roma se reuniu com os dirigentes do Chelsea para buscar parceria no futebol feminino. O clube inglês não poupa investimentos na categoria e, por isso, possui um dos principais times da categoria no mundo. A Inglaterra, inclusive, detém Liga considerada das mais fortes do mundo no futebol feminino.

A estratégia de Modesto Roma é fortalecer a equipe santista com intercâmbios e trazer mais visibilidade e recursos a modalidade no Brasil. O clube estuda ainda promover uma categoria de base para a modalidade, algo inovador no país, além de investir em escolinhas de futebol.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*