Brasileirão, Esportes

Santos empata com o Botafogo e desperdiça chance de encostar nos líderes

Santos empata com o Botafogo e desperdiça chance de encostar nos líderes
Faltou pontaria ao Santos para derrotar o Botafogo no Engenhão. Foto: Ivan Storti/SFC

O Santos desperdiçou grande chance de entrar no G4 do Campeonato Brasileiro. Neste domingo (20), o time do técnico Cuca jogou bem melhor que o Botafogo no Engenhão, no Rio de Janeiro, pela 11ª rodada do nacional, mas não caprichou nas finalizações e lamentou o empate sem gols. Teve várias oportunidades perdidas, principalmente no segundo tempo.

Com os tropeços de Palmeiras (que cedeu empate no final contra o Grêmio) e Vasco (derrotado pelo Coritiba), além do adiamento do jogo do Flamengo, um triunfo fora de casa teria garantido a quarta colocação aos santistas. Porém, as boas defesas do paraguaio Gatito Fernández e a pontaria descalibrada custaram dois preciosos pontos. A igualdade também foi ruim para os mandantes. Com sete jogos sem vitórias no Brasileirão, o Botafogo estaciona entre os piores.

O Santos não cumpriu a meta de embalar na competição. Porém, chegou a seis jogos sem derrota e vai empolgado ao Equador, onde enfrenta o Delfín, nesta quinta-feira, pela Copa Libertadores. O Botafogo faz o clássico contra o Vasco, nesta quarta, em São Januário, valendo vaga nas oitavas de final da Copa do Brasil. Na ida ganhou por 1 a 0.

Mesmo com jogos importantes no meio de semana, as equipes sabiam que não poderiam poupar suas principais peças – o Santos para colar nos líderes, e o Botafogo para fugir da zona de rebaixamento. Focados no Brasileirão, os times realizaram movimentado e disputado duelo, com supremacia santista. Abertos, buscaram o gol desde o início. O visitante com mais organização e o time da casa na base da vontade.

A agradável partida teve leve domínio santista nos 45 minutos iniciais, sobretudo com Arthur Gomes. Sempre levando a vantagem sobre a marcação pelo lado esquerdo do ataque, o atacante exigiu bela defesa de Gatito Fernández e ainda ficou no quase ao bater colocado e ver a bola raspar a trave.

O Santos ainda desperdiçou duas cobranças de falta quase na linha da grande área. Uma parou na barreira e outra Gatito defendeu. O Botafogo explorou os contragolpes em velocidade, mas não soube finalizá-los. O atacante senegalês Salomon Kalou ainda carece de melhor ritmo. Matheus Babi não recebeu bolas em condições de finalizar.

Antes do intervalo, uma polêmica: aos 38 minutos, Caio Alexandre entrou forte em Diego Pituca e recebeu o cartão vermelho direto. O VAR modificou a decisão de campo e o volante botafoguense acabou apenas com o amarelo. Muitos santistas ficaram bravos. Cuca, aos berros, pediu para seus comandados esquecerem o árbitro de vídeo.

Os times foram ao vestiário falando que faltou capricho e prometendo melhorar a pontaria. O Santos voltou com tudo, enquanto que o Botafogo caiu de rendimento. Arthur Gomes bateu cruzado e Marinho, por pouco, não chegou no carrinho. Do outro lado, Babi viu Lucas Veríssimo cortar na hora H. Seria a última chegada forte dos mandantes.

Cuca cansou da insistência com Jean Motta e Raniel e optou por dois jovens. “Incendeiem o jogo”, disse Cuca para Tailson e Kaio Jorge. Foi o que ocorreu.

Kaio Jorge podia ter tirado o zero do placar aos 29 minutos, com cabeçada para o chão que raspou o alvo, e com giro que mandou a bola para o alto, aos 36. Nem mesmo as “bombas” de Marinho deram certo na noite carioca. Foram três para fora. A certeza de que a bola não entraria veio aos 45. Ivonei, cara a cara, obrigou milagre de Gatito Fernández.

BOTAFOGO 0 x 0 SANTOS

Árbitro: José Mendonça da Silva Júnior (PR). Estádio: Engenhão, no Rio de Janeiro (RJ).

BOTAFOGO

Gatito Fernández; Fernando (Barrandeguy), Marcelo Benevenuto, Kanu e Victor Luís (Hugo); Rentería Luiz Otávio), Caio Alexandre (Rafael Foster), Davi Araújo (Honda) e Rhuan; Kalou e Matheus Babi. Técnico: Paulo Autuori.

SANTOS

João Paulo; Pará (Madson), Lucas Veríssimo, Luan Peres e Felipe Jonatan; Diego Pituca, Carlos Sanchez (Ivonei) e Jean Mota (Tailson); Arthur Gomes (Lucas Lourenço), Marinho e Raniel (Kaio Jorge). Técnico: Cuca.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*