Comportamento, Serviços

Santo André organiza programação especial para o Mês da Luta Antimanicomial

Umas das atrações será o tradicional Mental Fashion Day, que ocorre na próxima terça-feira no Parque Antonio Pezzolo. Foto: Alex Cavanha/PSA
Umas das atrações será o tradicional Mental Fashion Day, que ocorre na próxima terça-feira no Parque Antonio Pezzolo. Foto: Alex Cavanha/PSA

A Secretaria de Saúde de Santo André, por meio da coordenação de Saúde Mental, organizou uma programação especial de eventos em alusão ao Dia Nacional da Luta Antimanicomial, comemorado em 18 de maio. O tema “Resistir para Existir” foi escolhido por trabalhadores e usuários para ilustrar a manifestação da luta, após dois anos sem a promoção de eventos em decorrência da pandemia de Covid-19.

A coordenadora de Saúde Mental, Marines Santos de Oliveira, falou sobre a emoção e importância dessa retomada. “Foram dois anos difíceis, até porque o que faz a gente estabelecer o cuidado psicossocial são as relações. É você estar no território, estar na casa, na comunidade. É esse sujeito poder ir para o Caps e encontrar pessoas que são pares e que têm questões de vida parecidas. Além dos usuários do Caps, os moradores das residências terapêuticas já vieram de um processo de enclausuramento por anos de suas vidas e eles precisarem ficar isolados foi muito delicado”, pontuou. “Eles estão há dois anos esperando por esse evento”, completou Marines.

“Celebrar o Dia de Luta Antimanicomial é muito significativo. E o tema deste ano é um manifesto do processo de resistência dos usuários, familiares, trabalhadores e gestores para o cuidado em liberdade e garantia do modelo de atenção psicossocial no país”, comenta o secretário de Saúde, José Police Neto.

Desde o início do mês, todos os Caps (Centros de Atenção Psicossocial) estão realizando atividades, oficinas, assembleias e ensaiando atividades culturais para celebrar a data. Na segunda-feira (16), às 17h, será realizado um encontro entre profissionais, usuários e familiares em frente ao prédio da Prefeitura, no Paço Municipal, para marcar a abertura oficial da programação.

Na terça-feira (17), das 9h às 17h, o Parque Antonio Pezzolo (Chácara Pignatari) vai ser palco para uma série de atividades. Entre elas, será realizado às 9h30 futebol entre os profissionais de serviços de saúde mental. Às 13h30 acontecerá um show de talentos, com poesias, atrações musicais e apresentação de capoeira.

Mental Fashion Day

O grande destaque da programação é o tradicional desfile Mental Fashion Day, que acontece na terça-feira. Esta, que será a 15ª edição, será realizada na quadra de basquete do Parque Antonio Pezzolo, às 15h.

O evento contará com a participação de 55 pessoas de todas as idades, desfilando com os trajes produzidos pelos usuários nas oficinas de artesanato. Desfilarão usuários do Caps Vila Vitória, Caps Praça Chile, Caps AD, Caps Iana Profeta, Caps Infantojuvenil e moradores das residências terapêuticas.

“Esse ano os usuários estão na linha de produção do começo ao fim. Cada serviço produz a sua própria fantasia a partir do tema central e o que esse tema representa para cada serviço. Nenhum serviço sabe qual será a fantasia do outro e isso gera uma grande expectativa para quem está desfilando e para quem está assistindo”, explica a coordenadora de Saúde Mental, Marines Santos de Oliveira.

Nas últimas edições, o Mental Fashion Day ocorreu na concha acústica da Praça do Carmo, mas nesse ano, devido às inúmeras atrações, o evento foi transferido para a Chácara Pignatari e se tornou uma grande atração cultural. “Vamos fazer o evento no parque inteiro para que as pessoas que estejam frequentando o local também tenham a possibilidade de participar. A ideia do espaço aberto é justamente tornar todo mundo igual e integrado”, finalizou a coordenadora de Saúde Mental.

“A Rede de Atenção Psicossocial de Santo André segue na desconstrução de toda e qualquer forma de manicômio, seja institucional ou expressa em pensamentos, ações e conceitos. Experiências como o Fashion Day, que chega aos 15 anos, demonstram possibilidades antimanicomiais de estar no mundo e nas relações através da arte, do lazer do esporte, da vida comunitária e do cuidado psicossocial”, completa o secretário adjunto de Saúde, Victor Chiavegato.

Print Friendly, PDF & Email

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*