Minha Cidade, Santo André, Sua região

Santo André entrega 40 matrículas a moradores do Centreville

Prefeitura dá continuidade a processo de regularização aguardado há quase 40 anos pelos moradores do bairro. Foto: Angelo Baima/PSA
Prefeitura dá continuidade a processo de regularização aguardado há quase 40 anos pelos moradores do bairro. Foto: Angelo Baima/PSA

A Prefeitura de Santo André entregou nesta sexta-feira (13) mais 40 matrículas para moradores do Centre­ville, dando prosseguimento ao processo de regularização dos imóveis do bairro, que acontece após 38 anos de espera da comunidade.
A entrega foi feita em cerimônia no Salão Burle Marx, no prédio da Prefeitura, com a presença do secretário executivo de Habitação do Estado de São Paulo, Fernando Marangoni, e do secretário de Habitação e Regularização Fundiária de Santo André, Adriano Cruz, respeitando todos os protocolos de prevenção do coronavírus.

“Antes da pandemia do novo coronavírus começar, em março, já havíamos entregue 250 escrituras. As primeiras 55 matrículas do Centreville foram disponibilizadas pela Secretaria de Habitação e Regularização Fundiária em cerimônia reali­zada em fevereiro deste ano, mas muitas não são entre­gues em cerimônias”, explicou Adriano Cruz.

O secretário acrescentou que já estão prontas outras 170 matrículas que estão começando a chegar às mãos dos proprie­tários, número que inclui estas 40 entregues nesta sexta e outras 36 en­tregues em cerimônia rea­lizada em outubro.

“Ainda há muito a ser feito porque trata-se de uma área muito grande, muitas casas e muita gente esperando por essa documentação. O processo de regularização continua até que todos os moradores estejam com sua escritura em mãos”, acrescentou Cruz. A ação é fruto de uma parceria da Prefeitura de Santo André com o Governo do Estado, por meio do programa Cidade Legal.

“Essa parceria foi fundamental para que essa meta de regularizar o Centreville fosse realizada. A matrícula significa dignidade para os moradores, que hoje podem olhar para trás, para esses 38 anos de espera, e dormir tranquilos sabendo que vão poder deixar um imóvel para os filhos”, des­tacou o secretário executivo de Habitação do Estado, Fernando Marangoni.

De acordo com Marangoni, além da segurança jurídica, a regularização dos imóveis promove o desenvolvimento econômico e a valorização dos imóveis. “Estudos demons­tram que, depois de regula­rizados, os imóveis valorizam, no mínimo, 30%”, afirmou.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*