Economia, Notícias

Saab entrega par de freios produzido em São Bernardo para o Gripen

Saab entrega par de freios produzido em São Bernardo para o Gripen
Produção de freios aerodinâmicos é “aquecimento” para pacotes mais complexos, como a fuselagem. Foto: Divulgação/Saab

A fábrica de aeroestruturas da Saab no Brasil, loca­lizada em São Bernardo, concluiu a produção do primeiro par de freios aerodinâmicos do caça Gripen E. As peças serão enviadas no início de abril para Linköping, na Suécia, conforme cronogra­ma de produção da companhia.

“Trata-se de grande mar­co, que representa também um aquecimento para o início da produção de pacotes de traba­lho mais complexos, como a fuselagem traseira”, disse Ale­xandre Barbosa, gerente de engenharia da fábrica brasileira da Saab. “Essa entrega compro­va que nosso processo está ma­­duro e mostra ao go­verno e à Força Aérea Bra­si­lei­­ra (FAB) que estamos pron­tos para os próximos passos.”

Feito a partir da união de peças de liga de alumínio e fibra de carbono, o par de freios aerodinâmicos começou a ser produzido em outubro do ano passado. No total, serão fabricadas 72 unidades, das quais 36 vão ser utilizadas nos Gri­pen E/F adquiridos pela FAB.

A produção na fábrica de São Bernardo começou em ju­lho do ano passado. No local – que demandou investimentos de US$ 150 milhões – serão construídas seções de aerona­ves com destino às fábricas da Embraer em Gavião Peixoto (SP) e da Saab em Linköping, para montagem final.

Em dezembro do ano passado, a fábrica entregou a pri­meira peça feita no local: um cone de cauda. Tanto o freio aerodinâmico como o cone de cauda são partes menos com­plexas em comparação aos pró­ximos pacotes que a Saab vai produzir no Brasil, o que possibilita a consolidação do processo de produção.

“Consolidar o processo no início permite que economi­zemos tempo na implementação da produção dos demais pacotes de trabalho, como as fuselagens traseira e dianteira e o caixão das asas, porque já teremos implementado o fluxo em operações menos comple­xas”, explicou Ola Rosén, diretor de Operações da fábrica.

A fábrica de aeroestruturas de São Bernardo é a única do Gripen fora da Suécia e tem todo processo monitorado de perto pela Saab, em Linköping, para dar suporte aos profissio­nais locais. Ao mesmo tempo, a análise de riscos feita pelos engenheiros brasileiros contribui para melhorias e novas formas de trabalho não só na planta brasileira, como na sueca.

FORNECIMENTO

O contrato assinado com o governo brasileiro prevê o fornecimento de 36 aeronaves. Desse total, 15 (oito modelos mo­nopostos e sete bipostos) serão construídos integralmente no Brasil e os demais 21 (20 monopostos e um biposto), na Suécia.

O primeiro Gripen entregue pela Saab chegou ao Brasil em se­tembro de 2020 e passa por tes­­tes antes de ser incorporado à fro­ta da FAB.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*