Política-ABC, São Caetano do Sul

S.Caetano vai monitorar patrimônio de servidores

Controladora Mylene Gambale cumprimenta o prefeito José Auricchio durante posse. Foto: Divulgação/PMSCSA Prefeitura de São Caetano empossou, na tarde de ontem (13), a nova controladora geral do município, a advogada Mylene Benjamin Giometti Gambale. A Controladoria foi criada por meio de lei em agosto deste ano e faz parte das propostas apresentadas pelo prefeito José Auricchio Junior (PSDB) durante a campanha. Entre as inovações haverá a utilização de um software para monitorar a evolução patrimonial de servidores públicos.

O sistema, que se chama Sispatri (Sistema de Registro de Bens dos Agentes Públicos), será fornecido gratuitamente pela Prefeitura de São Paulo. De acordo com a controladora, serão implementados “procedimentos internos para gestão das declarações de bens e interesses visando detecção, investigação e percepção de atos de corrupção, por meio de convênio firmado com a controladoria geral do município de São Paulo”.

Mylene destacou que a centralização dos vários instrumentos de gestão e controle da administração permite que passem a ser vistos em conjunto, com abordagens e utilizações sistêmicas na medida que se tratando de instrumentos interdependentes necessitam ser utilizados coordenadamente para atingirem sua máxima eficiência. “Dados do Conselho Nacional de Controle Interno apontam que para cada R$ 1 investido em ações de controle o retorno para o erário é em média de R$ 35”, pontuou.

Além do software que passará a ser utilizado, em médio e longo prazos serão implementadas medidas como “implementação de Código de Conduta e Código de Ética, estabelecendo comportamentos esperados, valores gerais com ênfase na autodeterminação dos servidores em relação a suas escolhas morais que traduzam valores e regras em comandos simples e diretos, capacitações sobre ética e integridade, instituição de política de prevenção de conflito de interesses, regulamentação em âmbito local da lei federal anticorrupção”, entre outros.

José Auricchio frisou que a implementação da Controladoria e de outros mecanismos de controle vem ao encontro do que a sociedade espera sobre transparência na administração pública. “São Caetano dá um passo de extrema importância e de vanguarda, pelo momento que o país atravessa, em que a classe política é vista de maneira enviesada, negativa e isso incomoda sobremaneira todos nós que temos vida pública”, afirmou.

O tucano ressaltou que a criação da Controladoria, que vai agir em conjunto com diferentes setores da administração pública e com as ouvidorias geral e de saúde e as controladorias geral, de saúde e educação, é um legado para a cidade. “Este é um legado, que não é da minha gestão, do meu governo, não é de ninguém. É uma ferramenta que trazemos de forma inovadora para valorizar o servidor público. Mecanismos que vieram para ficar e vão fazer, de fato, uma nova fase na administração”, concluiu.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*