Últimas Notícias

Russomanno defende o isolamento vertical na capital durante debate virtual na sede da ACSP

“Estamos pagando um preço bem alto por tudo o que foi feito na nossa economia”. Foto: Divulgação/ACSP
“Estamos pagando um preço bem alto por tudo o que foi feito na nossa economia”. Foto: Divulgação/ACSP

O candidato a prefeito de São Paulo pelo Republicanos, Celso Russomanno, defendeu a adoção do isolamento vertical na capital como forma de conter o avanço do novo coronavírus e, ao mesmo tempo, retomar a geração de emprego e renda na cidade. A proposta foi exposta ao público, nesta terça-feira (13) pela manhã, durante debate virtual com representantes da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), na sede da instituição.

A medida é também uma das principais bandeiras levantadas pelo presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), desde o início da pandemia, que pedia para que as famílias mantivessem em casa apenas as pessoas pertencentes ao grupo de risco como as acima de 60 anos, portadoras de diabetes, hipertensão, doenças cardíacas ou pulmonares.
“Tudo precisa ser feito de acordo com a lei, mas não podemos mais admitir que os trabalhadores continuem quebrando da forma que quebraram”, disse, informando que vai rever esta questão sobre o controle da pandemia, caso seja eleito. O atual deputado federal afirmou que a população está pagando muito caro, pelo fechamento de escolas, estabelecimentos comerciais e de entretenimento durante este ano. “Estamos pagando um preço bem alto por tudo o que foi feito na nossa economia”, emendou.
Russomanno criticou ainda a gestão do atual prefeito Bruno Covas (PSDB) por, segundo ele, não dar incentivos fiscais durante este período e também durante todo seu mandato à frente da Prefeitura, o que teria ajudado a diminuir a renda das famílias e a geração de emprego. Uma de suas queixas é a de que não houve acordo de isenção ou redução de multas para inadimplentes do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU).
“Vários comerciantes precisaram entregar imóveis, tiveram de demitir funcionários e ainda ficaram com dívidas municipais enormes”, afirmou. “E a Prefeitura ainda arrecadou pouco, porque as pessoas não tinham dinheiro para pagar o imposto”, completou.
Outro ponto mencionado durante o debate na sede da ACSP refere-se ao alto custo do Imposto Sobre Serviços (ISS) para os empresários. “Com carga tributária que chega a 5% na nossa cidade, estamos incentivando as empresas a saírem daqui”, declarou. “É isso o que tem acontecido com as de call center e as de franquias que vão para outros centros urbanos apenas para pagar menos impostos”, contou, assumindo o compromisso de reduzir a carga tributária para atrair o empresariado a São Paulo.
O candidato do Republicanos disse ainda que pretende, caso seja eleito, abrir as escolas municipais, aos finais de semana, com a supervisão das próprias famílias dos alunos, e instalar pontos de acesso a videogames nas salas de aula.
O Ciclo de Debates, organizado pelo Conselho Político e Social (COPS) da Associação Comercial de São Paulo, tem o objetivo de aproximar os candidatos a prefeito da capital paulista da população de maneira com que os eleitores possam ouvir as propostas dos políticos e escolherem o melhor candidato para as eleições que serão realizadas, em seu primeiro turno, no dia 15 de novembro. O evento foi transmitido ao vivo pelo Facebook e YouTube .
Bruno Covas (PSDB), Andrea Matarazzo foram os dois primeiros a serem questionados pelos participantes durante a videoconferência. Depois de Russomanno, será a vez da candidata Joice Hasselmann participar do debate virtual, no dia 15, a partir das 12 horas, na sede da ACSP. A ACSP convidará ainda outros pleiteantes ao cargo.
O debate com o candidato Celso Russomanno pode ser assistido por meio do link https://youtu.be/5xshLBhQVO0.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*