Diadema, Política-ABC, Sua região

Russo propõe revisão do IPTU para melhorar arrecadação municipal

O candidato do PMN a prefeito de Diadema, Silvino Roque Neto, o Russo, tem enfrentado o desafio de realizar campanha sem recursos e pretende, caso seja eleito, revisar os valores do Imposto Predial, Territorial e Urbano (IPTU), a fim de melhorar a arrecadação da cidade. O candidato não arrecadou valores, segundo informações do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

“Vamos promover a revisão dos valores de IPTU e a regularização das construções, a fim de que, de forma igual, todos contribuam para a administração da cidade. Chamaremos os inadimplentes para acordos de modo que a população possa regularizar seus débitos e a prefeitura tenha seu fluxo de caixa garantido”, disse o candidato em entrevista concedida ao Diário Regional.

Entre suas propostas, Russo pretende colocar em funcionamento os equipamentos de Saúde que estão fechados ou funcionamento parcialmente, como o Pronto Atendimento Infantil, e ampliar o atendimento de especialidades no Quarteirão da Saúde. “(Vou) Colocar as UPAs (Unidades de Pronto Atendimento) nos pontos estratégicos, ou seja, nas divisas, em funcionamento por 24 horas e colocar um médico para gerir a secretaria”, prosseguiu.

Na educação, a estratégia é aproximar mais as famílias das escolas. “Começando pelas creches, queremos que a família seja assistida juntamente com os alunos. A estrutura familiar é muito importante para apoiar a educação”, destacou. Na Fundação Florestan Fernandes, o objetivo é buscar professores e cursos que auxiliem na formação técnica para o emprego. Para o meio ambiente, o objetivo é construir duas usinas, uma para reciclagem de resíduos sólidos e outra para reciclagem de restos de construção.

Filiado a um partido pequeno, Russo entende que a campanha mais curta e a proibição de doações de empresas prejudicou as legendas menores. “O PMN trabalha em Diadema com pouco ou nenhum recurso. Esta é uma situação que, acredito, esteja atingindo todos os partidos pequenos. Optamos por não fazer coligações, o que torna a campanha ainda mais difícil. Trabalhamos com recursos próprios e buscamos o voto um a um”, destacou.

Para o candidato, as mudanças deixaram os partidos conhecidos do eleitorado em situação de vantagem. “Têm seus financiadores, as pessoas jurídicas doam aos seus candidatos conhecidos como pessoas físicas. Os desconhecidos, menores, fazem um trabalho de formiguinha ou apoiam os maiores”, detalhou.

O PMN foi bastante assediado para desistir de lançar candidatura própria ao Executivo e apoiar o prefeito e candidato a reeleição, Lauro Michels (PV).

Russo: “o PMN trabalha com pouco ou nenhum recurso”. Foto: Eberly Laurindo

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*