Copa do mundo, Esportes

Rússia bate Egito e fica perto da segunda fase

Rússia bate Egito e fica perto da segunda fase
Cheryshev comemora com Gazinskii o segundo gol russo e o terceiro dele nesta Copa. Foto: Divulgação

A Rússia não se importou com a presença de Mohammed Salah no time adversário e venceu mais uma na Copa. Agora, a vítima foi o Egito, ontem (19), em São Petersburgo: 3 a 1 para a equipe da casa, que ficou perto de confirmar classificação as oitavas de final.

O duelo teve duas assis­tências do lateral direito brasileiro naturalizado russo Má­rio Fernandes, 27 anos. O atleta começou a carreira no Grêmio em 2009, mas atua no CSKA Moscou há seis anos. Na temporada passada, o jogador con­seguiu a cidadania russa.

A vitória ainda deu à Rússia o status de primeira sensação desta Copa. Afinal, são oito gols marcados e apenas um sofrido em duas partidas – os anfitriões já haviam batido a Arábia Saudita por 5 a 0 na estreia.

Os africanos, por sua vez, praticamente se despediram da competição. O confronto também marcou a estreia de Salah, que se lesionou no ombro durante a final da Liga dos Campeões da Europa. O camisa 10 fez, de pênalti, o único gol egípcio no duelo de ontem.

No primeiro tempo, a Rússia mostrou empolgação pela presença em massa de sua torcida (64 mil pessoas) no estádio de São Petersburgo.

O primeiro bom momento da equipe da casa teve início com Zhirkov, que cobrou falta na área do Egito. A zaga afastou, mas a bola sobrou para Cheryshev, que ajeitou e bateu sobre o gol. Depois, Gazinskiy chegou pelo lado esquerdo e, da linha de fundo, cruzou para Dzyuba, de 1,96 m. Apesar da altura, o jogador não alcançou.

Até então apagado, Salah tentou pela primeira vez aos 21. O atacante do Liverpool recebeu pela esquerda, puxou para dentro e serviu Trezeguet, que bateu na defesa.

O camisa 10 egípcio ainda tentou mais duas vezes na etapa inicial. Primeiro, quase resvalou cabeçada de Mohsen para o gol, mas Zhirkov impediu. Em seguida, recebeu na frente, dominou, girou e chutou, mas para fora.

Os gols vieram apenas no segundo tempo. Aos 2 minutos, El Shenawy saiu de soco em cruzamento e deu rebote para Zobnin. O camisa 11 chutou meio sem jeito, mas o egípcio Fathi tentou cortar e mandou contra seu próprio gol.

Aos 13, Mário Fernandes entrou na grande área pela direita, chegou à linha de fundo e cruzou para Cheryshev ampliar. Foi o terceiro gol do russo, agora empatado com Cristiano Ronaldo na artilharia.

No minuto seguinte, Dzyuba recebeu lançamento de Mário Fernandes e estufou as redes do goleiro El Shenawy.

Aos 27, o Egito contou com o uso do árbitro em vídeo para ter um pênalti a seu favor. Salah bateu e fez o de honra dos africanos.

Técnico do Egito diz que Salah estava 100%, mas lamenta treinos perdidos

O técnico do Egito, Héctor Cúper, afirmou após a derrota por 3 a 1 para a Rússia,  que o astro Mohamed Salah estava 100% fisicamente para o jogo. Porém, lamentou que a lesão no ombro sofrida na final da Liga dos Campeões, há três semanas, tenha tirado o camisa 10 da maioria dos treinos da seleção.

“Quando falamos em 100% temos de falar da parte médica. O departamento médico me disse que Salah estava pronto, mas não pôde se preparar conosco nos treinos o tempo todo. Tinha de treinar sozinho”, disse.

“Acredito que (Salah) estava em boa forma e na me­lhor condição, mas se ele tivesse se machucado na final da Liga dos Campeões, então teria três semanas a mais de treinamento com o grupo”, continuou.

Salah ficou fora da estreia contra o Uruguai e saiu jogando contra a Rússia, mas não conseguiu levar o time à vitória. Esperando a bola na frente, criou algumas jogadas de perigo, sofreu e converteu um pênalti para fazer o único gol egípcio no jogo.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*