Esportes, Futebol

Rithely avisa Sport sobre desejo de jogar no Corinthians

A negociação é bastante complexa, mas o Corinthians conta com importante aliado para fechar um acordo com o Sport e ter Rithely como reforço para 2017: o próprio volante.

Conforme apurou a reportagem, a postura firme da nova direção do Sport em relação à investida do Corinthians deixou o jogador insatisfeito.

Rithely manifestou em duas reuniões que entende ter cumprido seu ciclo na Ilha do Retiro e gostaria de se transferir para outra equipe brasileira. Em relação a salários e tempo de contrato com o atleta, há inclusive acordo entre as duas partes. Porém, o vínculo com o Sport é válido até o fim de 2019.

Por enquanto, porém, o acordo parece distante entre Corinthians e Sport. Nos últimos contatos realizados desde o fim do Campeonato Brasileiro, a direção do atual clube de Rithely se mostrou pouco flexível quanto à pedida pelo atleta: algo em torno de R$ 40 milhões, valor da cláusula de rescisão.

Investidor favorável

Embora possa exigir o pagamento da multa rescisória por ter o atleta sob seu registro, o Sport é dono de apenas 50% dos direitos econômicos. O grupo investidor que detém a outra metade dos direitos de uma possível venda de Rithely é favorável à negociação para o Corinthians.

Na última quinta-feira, o diretor de Futebol do Corinthians, Flávio Adauto, manifestou que o clube havia praticamente desistido de negociar por Rithely. A aposta é de que o próprio jogador e seus empresários consigam mudar o pa­norama das tratativas.

Encontrar um primeiro volante é uma das prioridades do Corinthians no mercado, já que as únicas opções no momento são o veterano Cristian, Camacho e os jovens Jean e Ameixa, que podem ser emprestados para clubes de menor expressão a fim de ganhar experiência.

Rithely entende que já cumpriu seu ciclo no Sport e é favorável à negociação. Foto: Arquivo

Fábio Carille acredita que Jô pode ajeitar  ataque alvinegro na próxima temporada

Principal reforço do Corinthians até agora, Jô tem a confiança de Fábio Carille. O centroavante agrada ao chefe por aliar presença de área com capacidade de movimentação e é considerado peça importante nos planos para a temporada de 2017.

“Jô não é um camisa 9 que fica parado só. Pode abrir espaço para que os meias se aproximem, não fica apenas como referência”, afirmou o treinador à rádio Transamérica.

Parte da confiança de Carille é ligada ao que observou nos últimos dois meses. Acertado com o clube para 2017, o atacante começou a trabalhar no CT do Parque Ecológico em novembro. “Tivemos o prazer de estar com Jô nesse período. Gosto dele, acho que pode nos ajudar bastante, sim”, disse.

Jô completará 30 anos em março e não atua desde o meio de 2016, quando foi liberado pelo chinês Jiangsu Suning. Foi por estar fora de forma que ele começou a treinar com antecedência.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*