Esportes, Futebol

Ricos, clubes ingleses tentam recuperar domínio europeu

O fato de cinco equipes estarem nas oitavas de final da Liga dos Campeões é um recorde para o futebol da Inglaterra. O feito pode se tornar ainda mais histórico se as campanhas dos ricos e poderosos clubes ingleses continuarem vitoriosas.

Pelos resultados das partidas de ida na semana passada, o Manchester City – que goleou o Basel, na Suíça, por 4 a 0 – e o Liverpool – que massacrou o Porto, jogando em Portugal, por 5 a 0 – apenas ficarão fora das quartas de final se forem goleados.

Resta saber o que Tottenham (empate por 2 a 2 no jogo de ida com a Juventus) e Manchester United (enfrenta o Sevilla amanhã) farão. O duelo mais difícil é o do Chelsea, que enfrenta o Barcelona hoje (20), às 16h45.

“Agora, eu me sinto como um inglês. Sou parte desta liga (inglesa)”, afirmou Pep Guardiola, treinador espanhol do Manchester City, ao comentar os bons resultados dos times do país na atual Liga dos Campeões.

“Vamos ver se agora, ou no futuro, daqui a quatro ou cinco anos, nós teremos vários ingleses nas fases finais da competição”, disse o treinador, com boas passagens pelo Barcelona e Bayern.

Corroborar ou não a projeção de Guardiola é uma das principais incógnitas que envolvem o futebol europeu.

Todos os cinco times ingleses, que terminaram a fase de grupos na primeira colocação em suas chaves, estão entre os dez mais ricos do continente. De acordo como site Transfermarkt, especializado em avaliação do valor de jogadores, o City tem o terceiro elenco mais valioso da Liga dos Campeões, atrás apenas de Barcelona e Real Madrid.

Apesar do sucesso na temporada atual, desde 2012 um time inglês não ganha a competição mais importante de clubes da Europa. Apenas o Chelsea – ao lado do Bayern de Munique – conseguiu quebrar a recente hegemonia da dupla Barcelona-Real no continente europeu.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*