Minha Cidade, Ribeirão Pires, Sua região

Ribeirão Pires inicia implementação de apoio psicossocial nas escolas

Profissionais da equipe de orientação pedagógica, psicóloga e assistente social da Educação discutiram os primeiros passos para a consolidação do APSE. Foto: Divulgaçãp/PMETRP
Profissionais da equipe de orientação pedagógica, psicóloga e assistente social da Educação discutiram os primeiros passos para a consolidação do APSE. Foto: Divulgaçãp/PMETRP

A Secretaria de Educação de Ribeirão Pires iniciou nesta semana processo para a implementação do Apoio Psicossocial Escolar (APSE), serviço que fortalecerá as ações de identificação e acompanhamento de estudantes em vulnerabilidade matriculados na rede municipal de ensino. Nesta quarta-feira (16), profissionais da equipe de orientação pedagógica, psicóloga e assistente social da Educação discutiram os primeiros passos para a consolidação do APSE.

“O objetivo deste novo projeto é garantir os direitos dos alunos, com especial atenção ao acesso ao ensino e ao aprendizado. O apoio psicossocial será feito por equipe multidisciplinar especializada de nossa secretaria e estabelecerá fluxos e metas a serem cumpridas para que estudantes em possível situação vulnerável sejam ouvidos, acolhidos, dentro do que estabelece a legislação vigente e o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA)”, explicou a secretária da Educação, Rosi Ribeiro de Marco.

A equipe da pasta que atuará no APSE será formada por psicóloga, assistente social e pedagogas do setor de inclusão escolar da Secretaria de Educação. O projeto está sendo estruturado para implementação ainda no segundo semestre deste ano.

“O que estamos debatendo, neste primeiro momento, é de que forma o projeto estará articulado, como as demandas serão identificadas e como serão encami­nhadas internamente, sempre priorizando o bem-estar e a preservação da integridade da criança. Este trabalho está atrelado à Busca Ativa Emergencial que estamos realizando em nossa rede municipal para conhecer quem são os alunos matriculados que, por alguma razão, não estão tendo bom desempenho ou boa frequência escolar”, detalhou a coordenadora da equipe de Orientação Pedagógica da prefeitura, Nádia Ferreira.

 TRABALHO

Nas próximas semanas, os fluxos de trabalho do APSE serão estabelecidos. Os novos estagiários de pedagogia, psicologia e assistência social contratados pela Educação neste ano farão parte do serviço de apoio. “Vamos estabe­lecer metas para curto, médio e longo prazo. A intenção é que o APSE seja um projeto transitório, que fortaleça e dê maior autonomia para as equipes de gestores escolares para identificar e encaminhar casos como este. Lembrando sempre do objetivo principal, que é a garantia de direitos da criança, para que tenha um bom desenvolvimento”, concluiu Nádia.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*