Minha Cidade, Ribeirão Pires, Sua região

Ribeirão Pires descarta voltas às aulas presenciais neste bimestre

Rosi de Marco apresentou relatório a Volpi nesta sexta. Foto: Gabriel Mazzo/PMETRP
Rosi de Marco apresentou relatório a Volpi nesta sexta. Foto: Gabriel Mazzo/PMETRP

A Prefeitura de Ribeirão Pires não deve retomar aulas presenciais em fevereiro. Segundo a administração municipal, relatório feito pela Secretaria de Educação do município aponta que unidades escolares da cidade não apresentam condições de proporcionar segurança sanitária aos alunos e profissionais da rede.

De acordo com dados da Secretaria de Educação, a rede municipal de ensino conta, atualmente, com 860 professores e, aproximadamente, 7.230 alunos matriculados, distribuídos entre Infantil Parcial, Infantil Integral, Fundamental I e II.

O anúncio de que o retorno das aulas presenciais, pelo menos neste bimestre, está descartado, foi feito, na manhã desta sexta-feira (8), durante reunião entre o prefeito Clóvis Volpi e a secretária de Educação, Rosi Ribeiro de Marco.

“Algumas escolas não têm sequer álcool gel e produtos de limpeza. Nosso maior compromisso é com a vida e, por isso, hoje não podemos retomar as aulas de forma presencial”, justificou a secretária, ao afirmar que ain­da é necessário aguardar o Decreto do governo do Estado para que o município possa definir as di­retrizes para o ano letivo.

“Diante do levantamento técnico feito em toda a rede municipal de ensino feito pela secretária de Educação, Rosi Ribeiro de Marco, e priorizando a saúde dos profissionais da Educação, dos alunos e dos pais, a decisão do município de Ribeirão Pires será pelo não retorno as aulas presenciais neste primeiro bimestre. No entanto, dependemos da publicação do decreto estadual que norteará se teremos ou não independência para essa decisão final”, afirmou Volpi nas redes sociais

O governo de São Paulo traba­lha, até o momento, com a previsão de retorno gradual das aulas presenciais a partir de fevereiro. Em dezembro, o go­verno estadual anunciou que o retorno ocorrerá de forma regionalizada, de acordo com os Departamento Regionais da Saúde, obedecendo aos critérios de segurança estabelecidos pelo Centro de Contingência do Coronavírus.

SANTO ANDRÉ

Esta semana, o prefeito de Santo André, Paulo Serra (PSDB), afirmou que a previsão de retorno das aulas presenciais é fevereiro, mas que a definição só será dada no final deste mês, porque está condicionada ao número de casos de covid-19.

“Trabalhamos com cronograma para fevereiro, modelo híbrido (presencial e a distância), escolas públicas e particulares. Os números serão analisados semanalmente. Quando teremos uma definição? Até a última semana de janeiro. Hoje os números nos permitiriam voltar, mas essa doença muda muito rápido. Vamos perceber o que aconteceu com as festas de fim de ano, com a curva da doença, daqui a uma semana. Vamos trazer essa discussão também para o Consórcio Intermunicipal, ouvir os outros prefeitos, mas segue o cronograma para aulas em fevereiro”, ressaltou.

(

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*