Diadema, Política-ABC, Sua região

Reunião na Câmara vai discutir reabertura do Observatório de Diadema

Abandonadas, salas estão com papéis e móveis revirados. Foto: Eberly LaurindoIntegrantes da Associação de Astronomia e Astrofísica de Diadema (AAAD), que fundaram em 1992 o Observatório Municipal da cidade, reúnem-se hoje (21) com o presidente da Câmara de Diadema, Marcos Michels (PSB). Na pauta da reunião, a possibilidade de reabertura do equipamento, fechada desde 2013. O encontro, que acontece às 10 horas, deve contar também com a presença da secretária de Educação, Tatiane Ramos.

Por 11 anos, a AAAD manteve convênio com a Prefeitura de Diadema para manter as atividades do Observatório. Com grande visitação de escolas privadas e públicas da cidade e de outros municípios, o equipamento foi o primeiro observatório municipal da região metropolitana. “Já existiam planetários, mas é um ambiente simulado, com um projetor. Em Diadema temos o telescópio. É possível observar a lua, a natureza”, relatou o professor de física e um dos fundadores da AAAD, Ozimar da Silva Pereira.

O professor relatou que a relação entre a Sociedade e a administração municipal sempre foi de altos e baixos. “Atrasavam o pagamento por dois, três meses, desde a gestão do ex-prefeito José Augusto da Silva Ramos (atualmente no PSDB, mas à época, no PT)”, relembrou. “Graças aos muitos voluntários que tínhamos era possível manter as atividades. Nunca foi um alto investimento, não mais do que R$ 15 mil ao mês”, completou.

Pereira relatou que as coisas começaram a piorar no final de 2012, último ano da gestão do ex-prefeito Mario Reali (PT). “Fizeram muitos cortes e interromperam o convênio. Quando o atual prefeito (Lauro Michels/PV) assumiu para o primeiro mandato, tivemos esperança que nos chamasse, que retomássemos o convênio. Porém, fecharam para uma suposta reforma e em janeiro de 2014 fomos convidados a nos retirar”, detalhou.

Desde então, segundo o professor, foram muitas as tentativas de contato com a administração municipal, sem sucesso. “Infelizmente, a Secretaria de Educação não teve a visão de usar o Observatório com o fim educativo para o qual foi criado. Em uma cidade como a nossa, com grande vocação industrial, é de suma importância dar atenção à ciência, como porta de entrada para o interesse em tecnologia”, lamentou. “Hoje (ontem, dia 20), data em que começa o equinócio de outono, não temos como observar o fenômeno”, destacou.

Centro Cultural

O Centro Cultural Inamar, que funcionava em prédio contíguo ao do Observatório, também foi desativado e transferido para outro endereço. A reportagem do Diário Regional teve acesso aos prédios e o estado é de abandono. As salas estão com papéis e móveis revirados. “Infelizmente, está tudo à mercê de vândalos. Ainda bem que o telescópio, ao menos por enquanto, continua intacto”, disse. O telescópio foi adquirido em 1991, pelo valor de US$ 1 mil, conseguidos por meio “de vaquinha”.

A Prefeitura de Diadema informou, por meio de nota, que há interesse da Secretaria de Educação em reativar o Observatório Astronômico. Entretanto este assunto ainda está em discussão. “Outra questão que também esta sendo avaliada é a reforma do local onde funcionava o Observatório, que em 2016 sofreu vandalismo e precisa de amplos reparos. Quanto ao Centro Cultural Inamar, foi incorporado ao CEU das Artes – Centro de Artes e Esportes Unificados, em julho do ano passado, e está funcionando plenamente”, esclarece a nota.

O CEU das Artes está localizado na avenida Afonso Monteiro da Cruz,254, Jd. União.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*