Arte & Lazer, TV

Rei dos bordões, humorista Paulo Silvino morre aos 78 anos

Paulo Silvino perdeu a luta contra o câncer. Foto: DivulgaçãoO ator Paulo Silvino morreu em casa, no Rio, na manhã de quinta-feira (17), aos 78 anos. Ele lutava contra um câncer no estômago.

Silvino iniciou a carreira no rádio. Seu pai, o comediante Silvério Silvino Neto, conhecido pelas paródias de figuras públicas no Brasil dos anos 1940 e 1950, levava o menino para acompanhá-lo no trabalho.

Nos anos 1960 se juntou ao elenco da TV Rio. Ao longo das décadas, encarnou inúmeros personagens. Comandou, ao lado de Agildo Ribeiro, o programa “TV Ó Canal Zero e TV Um Canal Meio”, nos primórdios da Globo, entre 1965 e 1966. O programa foi um antecessor de “Tá no Ar”, com sátiras à TV de então.

Já em 1970, Silvino participava do “Faça Amor Não Faça Guerra” e, em 1976, o “Planeta dos Homens”. O sucesso veio em 1983, com sua participação no “Viva o Gordo”, ao lado de Jô Soares.

Participou de vários quadros no “Zorra Total”. Em 2003, estreou como um anjo que surgia nos quadros de mulheres bonitas em momentos inoportunos.

Em 2005, foi o Pai Turíbio, que consultava os búzios com o bordão “fala, buzinho, fala”, para resolver problemas amorosos de suas clientes. Ainda em 2005, estreou seu personagem de maior sucesso no programa, o porteiro Severino, que deveria conferir quem eram os visitantes e funcionários que se apresentavam na portaria da TV Globo, daí surge o famoso bordão “cara, crachá”.

Após Severino, ele aparece como Teseo em 2008, um homem que tem um chip inserido no corpo por sua mulher. Sempre que ele apronta, o chip toca e a mulher o encontra. Em 2009, deu vida a Cruzoelson, um náufrago que acaba numa ilha deserta ao lado de uma bela morena chamada Serena (Giselle Ingrid). Na ilha, ele faz de tudo para enganar a mulher toda vez que passa um navio ou avião que poderia resgatá-los. Seu trabalho mais recente foi no filme “Gostosas, Lindas e Sexies”, que estreou em abril deste ano.

O humorista era pai de Flávio Silvino, ator que teve danos cerebrais ao sofrer um acidente de carro em 1993. Flávio voltou a atuar na novela “Laços de Família”, mas acabou por abandonar a carreira. João Paulo Silvino, outro filho do humorista, lamentou a morte do pai nas redes sociais. “Que Deus te receba de braços abertos, meu pai amado.” Diva Plácido (de 1967 a 1983). Silvino também deixa a mulher e a filha Isabela.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*