Diadema, Minha Cidade, Sua região

Rede de Saúde de Diadema realizou mais de 170 mil consultas médicas entre maio e agosto

Sartori: “aumento nos atendimentos demonstra a retomada da Atenção Básica, Especializada” . Foto: Thiago Benedetti/PMD Na tarde desta quarta-feira (27), a Secretaria de Saúde de Diadema realizou prestação de contas sobre atendimento e recursos aplicados referentes ao segundo quadrimestre deste ano. Mais de 60 pessoas participaram do evento na Câmara Municipal.

Entre maio e agosto deste ano, a rede de saúde do município aumentou o número de atendimentos e consultas em algumas especialidades. A melhoria na captação dos dados permitiu retrato com mais detalhes dos serviços prestados.

As consultas médicas passaram de 40.785 em 2016, para 42.910 consultas por mês neste ano, nos serviços de Atenção Básica, Especializada, Urgência e Emergência. Já os procedimentos mensais de enfermagem saltaram de 85.269 no ano passado para a média mensal de 123.154 em 2017, incluindo administração de medicamentos, acolhimento, classificação de risco, aferição de pressão arterial, curativos, coleta de materiais de exame, entre outros.

Os atendimentos de odontologia cresceram 58%, passando de 12.416 por mês, em 2016, para 19.627 procedimentos mensais este ano.

“O aumento demonstra a retomada da Atenção Básica, Especializada, que privilegia o sistema de saúde. Ontem (terça/26), apresentamos a prestação de contas para o Conselho Municipal de Saúde e tanto conselho como sociedade estão sendo solidários e entendendo este momento de crise econômica, mas que trabalhamos com dedicação”, explicou o secretário municipal de Saúde, Luís Cláudio Sartori. “Estamos mantendo diálogo com fornecedores, cronograma de pagamentos para colocar a casa em ordem e manter os serviços funcionando regularmente”, pontuou.

O secretário lembrou sobre a finalização do Plano Municipal, que está em fase de revisão, e que será encaminhado para avaliação do Conselho Municipal de Saúde em outubro. Atualmente, Diadema investe cerca de 40% do orçamento municipal na Saúde, ultrapassando o percentual mínimo de 15% determinado por lei.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*